Dercy Gonçalves na novela Deus nos Acuda (Divulgação/TV Globo)
Dercy Gonçalves na novela Deus nos Acuda (Divulgação/TV Globo)

Neste 19 de julho, completam-se 10 anos da morte de Dercy Gonçalves. Polêmica, transgressora, inesquecível por vários motivos, Dolores Gonçalves Costa marcou seu nome na história da cultura brasileira. Acima de tudo, ela foi sempre autêntica e verdadeira. Teatro, cinema, televisão: não houve restrição para que ela desfilasse seu talento e sua infinita capacidade de fazer rir. No momento em que lembramos uma década de sua partida, vamos relembrar dez momentos marcantes da trajetória de Dercy na televisão.

Dercy Gonçalves e os auditórios: tudo a ver

Dercy num dos programas de Dercy Espetacular (Divulgação/Memória Globo)
Dercy num dos programas de Dercy Espetacular (Divulgação/Memória Globo)

Em seus primeiros anos, a Rede Globo apostou alto em Dercy Gonçalves e seu poder de comunicação com o povo. Ela apresentava o programa Dercy Espetacular, exibido às 19h dos domingos. Nele, Dercy fazia entrevistas, apresentava reportagens e tinha um quadro de grande sucesso popular. O “Consultório Sentimental”, no qual eram realizados pedidos do público. Os quais iam desde assistência médica e bolsas de estudo até a localização de pessoas desaparecidas.

Dercy Gonçalves e Hilton Gomes num dos programas comandados por ela na TV Globo (Divulgação/Memória Globo)
Dercy Gonçalves e Hilton Gomes numa edição do Dercy de Verdade (Divulgação/Memória Globo)

Dercy de Verdade e Dercy Comédias foram outros programas com auditório liderados por Dercy na Globo, nos anos 1960. O primeiro era exibido nas noites de sexta-feira e mesclava esquetes humorísticas, entrevistas e debates de temas polêmicos da época. Em virtude de celeuma provocada junto à Censura, esta chegou a suspendê-lo em 1969 com 15 dias fora do ar. O segundo consistia em histórias fechadas, que davam vazão à verve humorística da estrela. O título Dercy de Verdade foi reaproveitado pela emissora em 2012 numa minissérie em homenagem a Dercy. A autoria foi de Maria Adelaide Amaral, que escreveu no início dos anos 1990 a biografia da artista, “Dercy de Cabo a Rabo”.

Dercy Gonçalves pôde “falar” no SBT

Em 2000, o SBT contratou a comediante para fazer um teleteatro semanal bem ao seu estilo, com bastante improviso e histórias movimentadas. Fala Dercy foi o título escolhido para o programa, dirigido por Marcos Caruso. Visto que a “boca suja” e o despudor de Dercy sempre desagradaram aos mais puritanos (ou hipócritas), não haveria nome melhor. Veja abaixo um trecho da atração:

Dercy Gonçalves e o “Jogo da Velha”

Dercy também integrou o quadro “Jogo da Velha”, no Domingão do Faustão. Tratava-se de um jogo de perguntas e respostas do qual participavam artistas. Veja abaixo o trecho de uma das edições, a primeira:

Vale a pena recordar uma das muitas participações de Dercy no Domingão do Faustão, enquanto ainda contratada da Globo. Na ocasião, em virtude do fato de ficar sem trabalhar, embora ganhasse “ordenadinho de paquita”, ela criticou a emissora e questionou se alguém a boicotava.

Viva reprisará primeiros anos do Domingão do Faustão, mas em dia diferente; veja

Em 1998, Silvio Santos teve Dercy como convidada especial do Em Nome do Amor, no Programa Silvio Santos. “Na minha época não se ficava rico, hoje é que fica. Tem uma bunda bonita, ganha um dinheirão!”

Dercy Gonçalves na dramaturgia em capítulos

Dercy Gonçalves como Dulcinéa em Cavalo Amarelo (Reprodução/TV Bandeirantes)
Dercy Gonçalves como Dulcinéa em Cavalo Amarelo (Reprodução/TV Bandeirantes)

Em contraste com seu trabalho no cinema, na TV Dercy participou de apenas três novelas inteiras. A saber, apenas em 1980, aos 72 anos, ela estreou no gênero como a Dulcinéa de Cavalo Amarelo, na Bandeirantes. A ex-vedete do teatro rebolado era a protagonista da novela de Ivani Ribeiro. Dulcinéa era dona de um café-teatro cujo show tinha por maior estrela sua sobrinha, Pepita (Yoná Magalhães). Com efeito, os tempos não andavam nada bons e frequentemente o aluguel era atrasado, o que gerava cobranças da parte do Sr. Maldonado (Rodolfo Mayer), dono do imóvel.

Em 1992, Silvio de Abreu criou para Dercy uma personagem de destaque em Deus nos Acuda. A novela das 19h da Globo tinha como protagonista a trambiqueira Maria Escandalosa (Cláudia Raia). No céu, Celestina (Dercy) recebia a missão de transformar Maria numa mulher honesta. Do contrário, seria enviada para a Terra, mais precisamente no Brasil, para viver como mortal uma existência de aposentada em nosso país. Para que monitorasse o comportamento de Maria, Celestina tinha como parceiro o Anjo Gabriel (Cláudio Corrêa e Castro), que coordenava seu trabalho.

Deus nos Acuda estreava há 25 anos

Em 1989, a novela capa-e-espada Que Rei Sou Eu?, de Cassiano Gabus Mendes, contou com diversas participações especiais. Sem dúvida uma das mais especiais delas foi a de Dercy Gonçalves. Ela deu vida à Baronesa Lenilda Eknésia, mãe da rainha de Avilan, Valentine (Tereza Rachel). Confira um trecho dessa participação abaixo:

Dercy Gonçalves: “Bravo, Bravíssimo”

Em 1991, a Rede Globo produziu um merecido programa especial sobre a vida e a carreira artística de Dercy, visto que ela completava 83 anos “Bravo, Bravíssimo” foi exibido na faixa Terça Nobre, em 2 de julho. Abaixo a íntegra do programa, dirigido por Augusto César Vannucci:

Últimos vídeos do Canal no YouTube