O Outro Lado do Paraíso
Sophia (Marieta Svero) e Gael (Sergio Guizé) (Divulgação/ TV Globo)

Neste Dia das Mães, vamos relembrar algumas mães que agiram de maneira bastante discutível com seus filhos, chegando mesmo a prejudicá-los, pensando mais em si mesmas e seus anseios do que nos descendentes.

Em Selva de Pedra (1972/73), de Janete Clair, a personagem Walkíria (Neuza Amaral) revoltou os telespectadores ao deixar que a filha Flávia (Sônia Braga) levasse a culpa pelo assassinato de Sérgio (Eliano de Souza), seu amante. Foi Walkíria quem o matou, por ciúme do interesse dele pela jovem, mas acabou tendo depois uma crise de consciência e confessou o crime.

Leia também: Conheça Roberval, personagem de Fabrício Boliveira em Segundo Sol

https://www.youtube.com/watch?v=dqjgvHGd4-I

Na novela Corrida do Ouro (1974/75), de Lauro César Muniz e Gilberto Braga, Zilka Salaberry teve grande destaque com a personagem Kiki Vassourada. Este era o nome de guerra de Ilka, que anos atrás abandonou a família para viver em liberdade pelo mundo, e cuja filha, também de nome Ilka (Maria Luiza Castelli), é obrigada a aceitá-la de volta em sua casa como condição para tomar posse de sua parte numa herança, a qual divide com Teresa (Aracy Balabanian), Patrícia (Renata Sorrah), Isadora (Sandra Bréa) e Gilda (Célia Biar). Kiki resssurge montada numa motocicleta, jovial e “prafrentex”, e as grandes diferenças entre mãe e filha constituem obstáculos a uma convivência saudável – e ao recebimento da herança.

Zilka Salaberry como Kiki em Corrida do Ouro
Zilka Salaberry como Kiki em Corrida do Ouro (Reprodução)

Toda mãe que se preza cuida dos filhos com toda a dedicação, mas no caso de Dona Margarida (Mirian Pires), em Locomotivas (1977), de Cassiano Gabus Mendes, o zelo pelo filho único Netinho (Dennis Carvalho) beirava a obsessão. Ela não desejava que o rapaz se casasse, já que com isso ele a abandonaria. Por sua vez, ele não enxergava o amor da vizinha solteirona, Celeste (Ilka Soares).

Dona Branca (Nicette Bruno) é uma das mães menos convencionais de toda a história da telenovela. Em Bebê a Bordo (1988/89), de Carlos Lombardi, atualmente em reprise no Canal Viva, os telespectadores podem acompanhar o modo peculiar como ela se relaciona com os filhos Tonico (Tony Ramos), Ester (Patrícia Travassos) e Glória (Françoise Forton). Seus comentários muito ácidos, como aqueles em que comenta sobre a burrice de Tonico ou a chatice de Ester, bem como desejando que a mesma Ester permanecesse morando no próprio apartamento e não voltasse para o dela ao ser abandonada pelo marido Amado (Fábio Pillar), deixam também transparecer uma mãe que ama verdadeiramente os filhos e o velho amante Tico (Sebastião Vasconcelos).

Nicette Bruno como Branca em Bebê a Bordo
Nicette Bruno como Branca em Bebê a Bordo (Reprodução)

Em Mulheres de Areia, de Ivani Ribeiro, as gêmeas Ruth e Raquel (Eva Wilma na primeira versão e Glória Pires na segunda) eram filhas do pescador Floriano (Sílvio Rocha em 1973 e Sebastião Vasconcelos em 1993) e de Isaura (Lucy Meirelles na Rede Tupi e Laura Cardoso na Rede Globo), que não sabia esconder sua predileção por Raquel, a filha inescrupulosa e ambiciosa, em detrimento da honesta e boa Ruth. Justamente por preferir a filha má à boa, Isaura é cúmplice de Raquel durante o tempo que ela passa escondida preparando sua volta para o convívio de todos que a têm como morta num acidente.

Lucy Meirelles na primeira versão de Mulheres de Areia, da Tupi
Lucy Meirelles na primeira versão de Mulheres de Areia, da Tupi (Reprodução)
Laura Cardoso como Isaura na versão global de Mulheres de Areia
Laura Cardoso como Isaura na versão global de Mulheres de Areia

A embaixatriz Renata Dumont (Tereza Rachel) não pensava duas vezes antes de tomar atitudes que protegessem sua família da proximidade excessiva com os pobres em Louco Amor (1983), de Gilberto Braga. Imagine então permitir romances da enteada Patrícia (Bruna Lombardi) e do filho Felipe (Lauro Corona) com pessoas de classe social inferior? Renata separou Patrícia do amado Luiz Carlos (Fábio Jr.) e fez de tudo para atrapalhar o namoro de Lipe com Carlinha (Beth Goulart), preferindo para sua nora a mau-caráter Luciana (Bia Seidl), que tinha “mais tutano”…

Tereza Rachel como Renata em Louco Amor
Tereza Rachel como Renata em Louco Amor (Reprodução)

Beatriz Segall deu vida a duas mães detestáveis criadas por Gilberto Braga: Lourdes Mesquita, em Água Viva (1980), e Odete Roitman, em Vale Tudo (1988). A primeira era uma pedra no sapato do genro Edir (Cláudio Cavalcanti) e prejudicava seu casamento com Márcia (Natália do Valle), bem como sufocava o filho Marcos (Fábio Jr.) e chegou a chantagear a jovem Janete (Lucélia Santos), de quem ela não gostava, para que se afastasse do rapaz. Odete, por sua vez, tinha papel fundamental nos fatores causadores do alcoolismo da filha Helena (Renata Sorrah) e colaborou diretamente para infeliz casamento do filho Afonso (Cássio Gabus Mendes), que se uniu à mau-caráter Maria de Fátima (Glória Pires) ao invés de viver seu romance com Solange (Lídia Brondi), a quem ele realmente amava.

Branca Letícia de Barros Motta (Susana Vieira) definitivamente não é um bom exemplo de mãe, como podem atestar os telespectadores de Por Amor (1997/98), novela de Manoel Carlos já reprisada uma vez pela Globo e duas pelo Canal Viva. Casada com Arnaldo (Carlos Eduardo Dolabella), Branca tinha três filhos, mas apenas o mais velho, Marcelo (Fábio Assunção), era merecedor de seu zelo e amor incondicional, enquanto Milena (Carolina Ferraz) vivia em conflito com a mãe e Leonardo (Murilo Benício) estava sempre de escanteio. Para Marcelo, tudo, para os outros, nada de excepcional; Branca chegou inclusive a prejudicar deliberadamente o namorado pobre de Milena, Nando (Eduardo Moscovis), fazendo-o ser preso injustamente, e puxou uma tesoura para ferir Leonardo ao ser confrontada por ele, que sempre foi diminuído por ela diante de todos.

Walcyr Carrasco ofertou ao público na recém-terminada O Outro Lado do Paraíso (2017/18) uma das mães menos usuais que já se viu: Sophia (Marieta Severo) espezinhava a filha anã, Estela (Juliana Caldas) – da qual dependeu no fim da vida, tanto quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) quanto ao ser condenada a cumprir pena por seus crimes num manicômio judiciário –, transformou o filho Gael (Sérgio Guizé) num espancador de mulheres devido à péssima criação que deu a ele e prejudicou a filha Lívia (Grazi Massafera) pura e simplesmente por disputar com ela o mesmo homem, Mariano (Juliano Cazarré).

Além de ser gananciosa, Sophia é a grande assassina de O Outro Lado do Paraíso (Divulgação/TV Globo)
Marieta Severo como Sophia em O Outro Lado do Paraíso (Divulgação/ TV Globo)

Aproveite bastante com sua mãe hoje e sempre – afinal, Dia das Mães não é só em maio, é todo dia.

Últimos vídeos do Canal no YouTube