Hebe Camargo
Hebe Camargo (Divulgação)

Eternizada como rainha da televisão brasileira, a história de Hebe Maria Monteiro de Camargo Ravagnani se confunde com a da própria TV no Brasil. Desde muito antes da chegada da TV Tupi, a primeira da América do Sul, ela já era uma artista, uma cantora que chamava a atenção.

Antes de continuar a leitura, dê o play no vídeo seguinte para entrar no clima.

Considerada uma estrela da rádio, da Tupi, foi uma das primeiras celebridades a ter contato com a televisão no país. Foi escolhida para integrar a equipe que buscaria no porto de Santos, em São Paulo, os equipamentos para a instalação da TV Tupi, na capital paulista.

No lançamento da estação, em 18 de setembro de 1950, Hebe não esteve presente, tinha um encontro com um namorado. Foi uma maneira de escapar de ter que cantar o hino da televisão brasileira, que ela considerava muito ruim. Sobrou para a amiga Lolita Rodrigues cumprir esse papel.

Se estivesse viva, Hebe completaria 89 anos neste 8 de março. Ela nasceu em Taubaté, no interior de São Paulo. Era de família simples, mas o talento já impressionava. Na adolescência, se mudou para a Capital e fez parte da Orquestra da Rádio Difusora.

Naquela época, era comum ter um grupo de músicos ao vivo no estúdio das emissoras de rádio. Porém, Hebe não parou na orquestra, não. Aos 15 anos de idade, já estava cantando no programa Clube do Papai Noel.

As primeiras aparições da apresentadora foram justamente em quadros musicais. Não há muitos registros em filme porque ainda não havia o recurso do videoteipe na televisão brasileira. Assista a uma das performances.

Mas o desempenho era tão notável que lhe rendeu o programa O Mundo é das Mulheres, na TV Paulista. Veja o que Hebe falou sobre essa atração.

Na Record, nos anos 60, fez paródias muito memoráveis ao lado de um gigante do humor, Ronald Golias. No vídeo a seguir, ambos contracenam para uma plateia e, tampouco, conseguem segurar o riso.

No canal dos Machado de Carvalho, Hebe também teve seu primeiro programa de auditório. Um sucesso de público e crítica. Porém, em 1974, a apresentadora mudou de emissora, foi para a Tupi e a primeira edição foi com uma sensação de retorno. Veja.

Hebe também acumulou uma importante passagem pela Band. Na emissora do Morumbi, ela pôde ter um programa que apresentava música ao vivo, por exemplo, e, também, temas polêmicos. Em uma das edições, a apresentadora deixou clara sua opinião sobre o aborto e até mesmo orientou jovens grávidas em uma situação difícil. Assista.

https://youtu.be/Zkb5b4bPk_s?t=2m45s

Quer mais Hebe polêmica? Ela deu uma entrevista bastante interessante para o programa Roda Viva, da TV Cultura, no final dos anos 80. O bate-papo chamou a atenção porque Hebe falou sobre o sucesso, o reconhecimento, sobre política e até homossexualidade. Vale a pena conferir.

Também nos anos 80, a apresentadora deixou a Band pelo SBT. Na emissora de Silvio Santos permaneceu com um programa no ar por 25 anos consecutivos. O sofá da Hebe ficou famosíssimo e era considerado uma honra ser convidado para sentar nele. Relembre a abertura do programa.

Em 2011, depois de o SBT não renovar seu contrato, Hebe teve a oportunidade de continuar no ar na Redetv. Na estreia, um programa bastante glamouroso foi montado, com várias celebridades na plateia. Confira alguns trechos.

Aos 83 anos de idade, em 29 de setembro de 2012, Hebe sofreu uma parada cardiorrespiratória. Dois dias antes dela morrer, o SBT anunciou à imprensa o seu retorno à emissora.

Vamos terminar relembrando a marca registrada da apresentadora. O selinho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui