Silvia Poppovic já apresentou telejornais na Globo , depois migrou para a Band. Tem um canal no Youtube.
Apresentadora Silvia Poppovic (Divulgação)

Em tempos que a TV discute se deve apostar em novos formatos ou buscar inspiração no passado, o Vale a Pena, relembra de uma condutora de programas que marcou a geração dos anos 90. Com um programa que tratava de assuntos populares, mas que não aderia ao sensacionalismo, Silvia Poppovic se tornou referência quando o objetivo era debater assuntos delicados na televisão.

Considerada uma das mais importantes apresentadoras, acumula uma história minimamente invejável. Transitou entre o jornalismo e o entretenimento quando isso nem era pauta, sempre apresentou programas que tinham responsabilidade com o público e, ainda, soube mediar equilibradamente debates sobre questões polêmicas.

Começou a carreira fazendo jornalismo. Ganhou maior notoriedade, nos anos 80, na Globo, onde pôde realizar reportagens, inclusive, para os jornais de rede. Foi convidada para comandar o programa São Paulo na TV, um programa terceirizado exibido na TV Gazeta, canal 11 da capital paulista.

Veja também: Relembre os maiores vilões do Big Brother Brasil

Ainda naquela década, acumulou passagens pela TV Cultura e apresentou o São Paulo à Tarde, na antiga TV Record, ainda sob gestão da família Machado de Carvalho. Em 1986, entrou para o time do programa Canal Livre, até hoje levado ao ar pela Band.

Depois de uma pausa na TV, o grande retorno ocorreu no início dos anos 90, com um programa solo, que, inclusive, tinha o seu nome, no SBT. Curiosamente, a atração era noturna e tinha plateia. Reunia formadores de opinião para um debate sobre um assunto de interesse público. Aliás, Silvia interagia muito com o público. Assista:

A discussão, muitas vezes, era acalorada, com uma bancada composta por pessoas que tinham visões conflitantes sobre um mesmo assunto. Relembre.

Ainda no programa do SBT, Silvia chegou a mediar um debate sobre religião, com líderes da Igreja Católica, das evangélicas e, até, da política e do espiritismo. Entre os presentes, os polêmicos Edir Macedo e Silas Malafaia. O público participou ativamente, emitindo opiniões e partindo para o confronto. Veja.

Apesar do apelo popular do programa, Poppovic acabou assinando com a Band, pouco depois, para ter também uma atração só sua. Uma das edições contou com a participação da Ana Paula Arósio falando sobre os impactos da fama na sua carreira. O programa de Poppovic lembra, de fato, um Casos de Família [de Christina Rocha, no SBT] não sensacionalista, responsável e muito mais espontâneo. Assista.

Outro momento que vale rever para entender a dinâmica e a essência do programa é quando houve um debate sobre fofoca, um comportamento social e cultural tão presente no dia a dia dos brasileiros.

Já no final dos anos 2000, depois de ter se tornado mãe, Poppovic voltou à Band para apresentar um programa nas tardes do canal. O Boa Tarde. Menor e um pouco mais sofisticado, o programa continuou tratando dos assuntos que chamam a atenção do público. A cantora Vanusa, quando errou a letra do hino nacional, foi entrevistada por Poppovic.

Com a loucura que sempre foi a programação da Band, a apresentadora se retirou do Boa Tarde para se tornar âncora do novo matinal da emissora, o Dia a Dia. Assim, em 2009, ela se despediu dos telespectadores da tarde.

Como o programa matutino não atingiu os resultados esperados, o canal mandou Silvia de volta para o Boa Tarde. Assista.

Após o fim do programa na Band, em 2010, Silvia não voltou para a televisão com um programa regular. No vídeo seguinte, ela aparece em uma parte do programa Boa Tarde, demonstrando todo seu orgulho de trabalhar na emissora do Morumbi.

Apareceu dando entrevistas em algumas atrações. Seu último trabalho na mídia tradicional ocorreu entre 2015 e 2016, na ancoragem do Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, em São Paulo. Atualmente, investe em um canal no Youtube.

Últimos vídeos do Canal no YouTube