Amor de Mãe e as mães icônicas das novelas no #TBTdaTV desta semana

Nova novela das 21h da Globo, Amor de Mãe estreou na última segunda-feira chamando a atenção para uma estrutura aparentemente complexa, mas que se esclarece ante a emoção que deseja provocar no espectador. No entanto, sem soluções fáceis demais, com personagens bem construídos cujas tramas se entrelaçam. Aparentemente nada de novo, mas em tempos de produções bastante criticadas fazendo muito sucesso, não custa demonstrar que é possível também ter sucesso com algo mais apurado – mas não pretensioso. O #TBTdaTV relembra algumas mães icônicas das novelas, como prometem ser Lurdes (Regina Casé), Thelma (Adriana Esteves) e Vitória (Taís Araújo).

Mamãe Dolores, uma das campeãs entre as mães icônicas das novelas

Embora não tenha gerado nenhum filho, a abnegada e sofrida Mamãe Dolores de O Direito de Nascer, criação do escritor cubano Félix Caignet, com toda a certeza merece constar entre as mães icônicas das novelas. Isaura Bruno, Cléa Simões e Dhu Moraes interpretaram a personagem nas três versões que a história originalmente transmitida pelo rádio ganhou na televisão brasileira até agora. Empregada da rica família Juncal, na Cuba da virada dos séculos 19 e 20, Dolores havia criado a jovem Maria Helena como a filha que não tivera. Nathalia Timberg, Suzy Camacho, Eva Wilma e Guilhermina Guinle deram vida à personagem.

A peça pregada pelo destino

Enganada pelo namorado, Maria Helena engravida e dá à luz um menino. Sabendo que Dom Rafael, o tirano pai da moça, deseja matar o próprio neto, que em sua visão mancha o nome da família, Dolores foge com o bebê. Desiludida com mais esse revés da vida, Maria Helena entra para um convento e ordena-se freira. O garoto, que recebe o nome de Alberto, cresce sob o zelo de Dolores, apesar das muitas fugas necessárias no decorrer da vida para protegê-lo da sanha do avô, que deseja encontrá-lo e concretizar seus planos. Sem falar nas questões que o fato de uma mulher negra ter um filho branco implicou a eles.

Cléa Simões como Mamãe Dolores em O Direito de Nascer (Reprodução/TV Tupi/BCC)
Cléa Simões como Mamãe Dolores em O Direito de Nascer (Reprodução/TV Tupi/BCC)

Mas Alberto cresce, estuda Medicina e, por ironia do destino, salva a vida do avô que tanto desejou pôr fim à sua. Sem a Mamãe Dolores, nada disso seria possível. Amilton Fernandes, Carlos Augusto Strazzer e Jorge Pontual tiveram a sorte de ser filhos dessa que indiscutivelmente é uma das mães icônicas das novelas.

Dona Lola, o protótipo da mãe

Glória Pires vive atualmente na novela das 18h da Globo uma das mães icônicas das novelas. Anteriormente consagrada em outras quatro adaptações para a televisão, a Dona Lola de Éramos Seis é uma mulher doce e dedicada ao marido e aos quatro filhos. No entanto, a personagem criada por Maria José Dupré também sabe defender sua prole se necessário. Com efeito, a atual versão mostra uma Lola menos passiva diante dos desmandos de Júlio (Antonio Calloni), o cônjuge. Gessy Fonseca, Cleyde Yaconis, Nicette Bruno e Irene Ravache tiveram a oportunidade de vivê-la nas adaptações anteriores. Sem dúvida, uma grande personagem para qualquer atriz.

Lola (Gloria Pires) em Éramos Seis
Lola (Gloria Pires) em Éramos Seis, uma das mães icônicas das novelas. (Reprodução)

Entre as Helenas, pelo menos dois exemplos de mães icônicas das novelas

As histórias criadas por Manoel Carlos geralmente são protagonizadas por mulheres fortes e arrebatadas de nome Helena. Ao menos duas delas merecem destaque nessa lista do #TBTdaTV. Regina Duarte viveu três delas, e uma sempre vem à cabeça quando falamos em mães icônicas das novelas. Na novela Por Amor (1997/98), que saiu do ar há poucas semanas no Vale a Pena Ver de Novo e fez muito sucesso em sua quinta exibição, a atriz viveu a mãe de Maria Eduarda (Gabriela Duarte). Tendo criado a filha ocultando dela todos os males do mundo, Helena fez por ela um grande sacrifício de muitas consequências.

Eduarda (Gabriela Duarte) e Helena (Regina Duarte)
Helena (Regina Duarte) de Por Amor, uma das mães icônicas das novelas. (Divulgação)

Um ato extremo e polêmico entre as mães icônicas das novelas

Mãe e filha se casam e engravidam na mesma época. O filho de Helena e Atílio (Antonio Fagundes), em que pesem as circunstâncias da gestação, nasce forte e saudável. Ao passo que o de Eduarda e Marcelo (Fábio Assunção) morre. Ademais, são tantas as complicações do parto que a moça fica impossibilitada de engravidar novamente. Diante disso, Helena acredita que só resta a ela abrir mão do próprio filho e trocar os bebês, para dar a Eduarda a chance de viver tudo aquilo que ela mesma já vivera. Forte e envolvente.

Um novo filho para salvar a vida da filha mais velha

Em 2000, Vera Fischer foi a Helena de Laços de Família, cuja filha Camila (Carolina Dieckmann) roubou dela seu namorado, Edu (Reynaldo Gianecchini). Todavia, o destino nos prega peças. Com Camila muito doente devido à leucemia, Helena se vê diante da necessidade de gerar um novo filho para que este seja doador de medula para a irmã. De maneira que isso implica não apenas um risco à própria saúde da heroína, já de meia-idade. Mas também um grande problema para seu relacionamento amoroso com o livreiro Miguel (Tony Ramos). Afinal, era com Pedro (José Mayer), pai de Camila, que ela deveria ter mais um filho.

Maria do Carmo, literalmente a Senhora do Destino, outra das mães icônicas das novelas

Susana Vieira viveu em 2004 uma de suas personagens de maior repercussão na vasta carreira. Ela protagonizou a novela Senhora do Destino, na novela de Aguinaldo Silva exibida às 21h. Sua personagem se chamava Maria do Carmo Ferreira da Silva, mesmo nome da mãe do autor. Anteriormente, Aguinaldo já havia homenageado a mãe ao batizar a personagem de Eva Todor em Suave Veneno (1999) com o nome dela. Apesar de não ser uma megera, Maria do Carmo gostava de controlar os filhos. Tanto assim que os mantinha todos sob suas asas, morando em sua casa ou, pelo menos, na mesma região da Vila São Miguel que ela ajudou a erguer nos anos 1970.

Susana Vieira como Maria do Carmo de Senhora do Destino
Susana Vieira como Maria do Carmo de Senhora do Destino (Reprodução/TV Globo)

Reginaldo (Eduardo Moscovis), Viriato (Marcello Antony), Leandro (Leonardo Vieira) e Plínio (Dado Dolabella), cada um a seu modo, deu alegrias e tristezas a essa mãe, que lutava por todos eles ainda que reprovasse certas escolhas e atitudes. A filha caçula, Lindalva, fora sequestrada ainda bebê no final de 1968, e criada pela mulher que a levou embora, Nazaré (Renata Sorrah), com o nome de Isabel (Carolina Dieckmann). A imagem de mulher forte de Do Carmo caía por terra quando passava horas no quarto de criança que manteve sempre pronto à espera da filha, quando fosse descoberto seu paradeiro.