A Escrava Isaura e as novelas brasileiras mais reprisadas, no #TBTdaTelevisão

Na última segunda-feira, dia 7, para a alegria dos noveleiros, três reprises tiveram início. O Canal Viva relançou Cabocla (2004), de Benedito Ruy Barbosa, baseada em Ribeiro Couto. Na Globo, o Vale a Pena Ver de Novo exibiu o primeiro capítulo de Avenida Brasil (2012), de João Emanuel Carneiro. E a Record TV tirou da manga um repeteco de A Escrava Isaura, adaptação do romance de Bernardo Guimarães por Tiago Santiago e Anamaria Nunes, que inaugurou as atividades de seu núcleo de teledramaturgia atual, em 2004. Esta é a quinta exibição da novela pela emissora em 15 anos, a saber. O #TBTdaTelevisão volta no tempo para lembrar outras das novelas brasileiras mais reprisadas, tal qual a estrelada por Bianca Rinaldi e Leopoldo Pacheco.

As outras ocasiões em que A Escrava Isaura esteve na telinha

O final da novela foi exibido pela primeira vez em abril de 2005. Em 15 de novembro daquele mesmo ano, A Escrava Isaura inscreveu-se entre as novelas brasileiras mais reprisadas. Sua transmissão original foi na faixa das 19h e essa primeira reprise ganhou um horário mais nobre, às 22h. A saber, a novela saiu do ar em meados de 2006, e no começo de 2007 começou a terceira reprise, dessa vez à tarde. A mais recente, em 2017, teve o fator da presença de espírito a seu favor, uma vez que sucedeu a Escrava Mãe (2016), de Gustavo Reiz, cuja trama era centrada na mãe da escrava Isaura, Juliana (Gabriela Moreyra). Para quem não se lembra, A Escrava Isaura começa justamente no nascimento da personagem-título, filha da escrava Juliana (Valquíria Ribeiro) e do feitor branco Miguel (Jackson Antunes).

Leopoldo Pacheco e Bianca Rinaldi em A Escrava Isaura
Leopoldo Pacheco e Bianca Rinaldi em A Escrava Isaura (Divulgação/ RecordTV)

No entanto, entre 2007 e 2017 ocorreu uma reprise de A Escrava Isaura no canal pago Fox Life, que exibiu outras novelas, tal qual Essas Mulheres (2005), também da Record TV. Entre 2014 e 2015 o Fox Life exibiu a história. Ademais, a cada exibição o final costuma ser diferente, já que diversos personagens tiveram cenas gravadas revelando-os como responsáveis pela morte de Leôncio (Leopoldo Pacheco).

Escrava Isaura: a versão da Globo também é uma das novelas brasileiras mais reprisadas

Lucélia Santos foi a escrava Isaura e Rubens de Falco o cruel Leôncio na novela de Gilberto Braga que correu o mundo e por anos ostentou o título de produção mais vendida da Globo. Além disso, ela é com certeza uma das mais importantes novelas da emissora. Assim como a versão da Record TV é para ela. Exibida originalmente entre outubro de 1976 e fevereiro de 1977, a versão global de Escrava Isaura voltou ao vídeo em outras cinco ocasiões até outubro de 1990, quando foi atração do Festival 25 Anos. As anteriores foram em 1977, 1979 e 1982. Além disso, em 1985 uma reprise foi ao ar apenas no Distrito Federal. Na ocasião o resto do País assistia ao horário político das eleições municipais. Ou seja, como Brasília não tem prefeito…

Abertura de Escrava Isaura utilizada na reprise de 1990.

Por Amor: a novela de Manoel Carlos já entrou para o rol das novelas brasileiras mais reprisadas

Exibida originalmente entre outubro de 1997 e maio de 1998 pela Globo, Por Amor termina essa semana no Vale a Pena Ver de Novo pela segunda vez. A primeira foi em 2002, e posteriormente o Canal Viva reprisou-a em duas ocasiões: em 2010 e em 2017. Esses quatro repetecos inserem a história de Helena (Regina Duarte) e sua filha Maria Eduarda (Gabriela Duarte) entre as novelas brasileiras mais reprisadas. De tal sorte que ninguém duvide de uma quinta reprise num futuro próximo. Ainda mais com o grande sucesso da promovida em 2019.

Cor de cravo e cheiro de canela entre as novelas brasileiras mais reprisadas

Do romance de Jorge Amado publicado em 1958, Gabriela, Cravo e Canela, a novela Gabriela foi escrita em 1975 por Walter George Durst. A Globo a exibiu originalmente às 22h, e nesse mesmo horário a reprisou numa primeira ocasião, em 1979. Em 1982, compactada em 12 capítulos, Gabriela foi novamente apresentada na faixa.

Nesse ínterim, um especial ainda mais compacto foi atração do Festival 15 Anos, em 1980. Para surpresa de muitos, até pelo horário tardio para o qual a história foi produzida, o que inclusive permitiu um tom mais “picante”, uma quarta reprise foi exibida entre 1988 e 1989 no Vale a Pena Ver de Novo. Só para ilustrar, na época a sessão ia ao ar às 13h30. Realmente eram outros tempos… Em tempo: foi a única novela das 22h a integrar o Vale a Pena Ver de Novo nos quase 40 anos de existência do programa.

Os Imigrantes: uma das novelas brasileiras mais reprisadas, embora nem sempre em sua totalidade

E não falamos isso levando em consideração a versão integral da novela de Benedito Ruy Barbosa, que conta com mais de 450 capítulos. E que foi escrita também por Renata Pallottini e Wilson Aguiar Filho. Atração das 18h30 na Rede Bandeirantes entre 1981 e 1982, Os Imigrantes já em 1983 foi resgatada pela emissora, com sua primeira fase reprisada na íntegra às 20h em substituição a uma novela inédita, Sabor de Mel, de Jorge Andrade. Entre 1990 e 1991, os quase 500 capítulos foram reprisados na totalidade pela primeira e até hoje única vez, na ingrata faixa das 10 da manhã. No ano de 1995, às 18h, foram apresentadas as duas primeiras fases da história (cerca de 100 capítulos), mais a chamada Terceira Geração.

Além disso, nos anos 2010 Os Imigrantes voltaram à telinha, agora em outras emissoras. Entre 2010 e 2011, a emissora gaúcha Ulbra TV apresentou-a numa versão comercializada pela Band, que consiste em 190 capítulos com as três primeiras fases da saga. O canal do Sul transmitiu inicialmente a novela em dois horários, às 13h e às 21h30. A Rede Vida exibiu Os Imigrantes em 2014, às 23h, na mesma versão levada ao ar pela Ulbra TV.

Meu Pé de Laranja Lima: além de estar entre as histórias contadas mais vezes, também consta entre as novelas brasileiras mais reprisadas

No final de 1998, a Band estreou sua segunda versão de Meu Pé de Laranja Lima, com texto de Ana Maria Moretzsohn. O romance de José Mauro de Vasconcelos já havia sido adaptado pela emissora em 1980/81. Anteriormente, a Rede Tupi o havia transposto para a televisão, em 1970/71. No ano de 2006, ocorreu a primeira reprise dessa versão dos anos 1990, pelo canal pago Fox Life. Em 2010 foi a vez da Ulbra TV, e no ano seguinte a emissora cearense TV Diário. A Rede Vida também reprisou a novela, em 2013.

Curiosamente, a Band mesmo nunca mais exibiu a história protagonizada pelos atores Caio Romei e Gianfrancesco Guarnieri. Poderia ter pego carona no grande sucesso conquistado ao longo dos anos por integrantes do elenco, a exemplo de Rodrigo Lombardi (lançado aqui) e Regiane Alves (em seu segundo trabalho).