No #TBTdaTelevisão, novelas reprisadas em outras emissoras que não as da primeira vez

Na semana passada, o jornalista Flávio Ricco divulgou em sua coluna que a TV Gazeta estaria negociando a compra de duas novelas da produtora JPO, Estrela de Fogo e Louca Paixão, para exibir em sua programação. Escritas por Yves Dumont, as duas produções foram transmitidas pela Record TV entre 1998 e 1999. Posteriormente, Estrela de Fogo teve uma precoce reprise de sua primeira fase. Louca Paixão, por sua vez, deu as caras em outras duas ocasiões nas tardes da emissora. Só para ilustrar, trata-se de uma nova adaptação do mesmo original que serviu de base a 2-5499 Ocupado. Nossa primeira novela diária, produzida em 1963 pela TV Excelsior. O #TBTdaTelevisão relembra nesta semana outros casos de novelas reprisadas em outros canais que não as exibiram quando inéditas.

A Pequena Órfã

Produção da TV Excelsior em 1968/69, A Pequena Órfã foi escrita por Teixeira Filho. Chamou a atenção na época devido a sua história centrada na pequena Toquinho (Patrícia Aires), maltratada pela megera Elza (Riva Nimitz), que a explorava. O sucesso foi tanto que as mães ameaçavam seus filhos mais traquinas com frases como “Olha que te mando para Dona Elza!”. Foi uma das inspirações para Marcílio Moraes desenvolver Sonho Meu para a Globo em 1993/94. No entanto, em 1971 a mesma Globo exibiu A Pequena Órfã em sua versão original. Essa reprise foi posterior ao encerramento das atividades da Excelsior, ocorrido no ano anterior.

Alguns títulos da Rede Manchete estão entre as novelas reprisadas por outras emissoras

Extinta em 1999, a Rede Manchete produziu novelas ousadas que marcaram o gênero. Só para exemplificar, Dona Beija (1986), Pantanal (1990) e Xica da Silva (1996/97) foram algumas delas. As três foram reprisadas por outras emissoras posteriormente. Escrita por Wilson Aguiar Filho, Dona Beija foi exibida pela Manchete em três ocasiões entre 1986 e 1993. Em 2009, o SBT a reprisou novamente, na faixa das 22h. Escrita por Benedito Ruy Barbosa e também exibida três vezes pela Manchete (entre 1990 e 1999), Pantanal foi igualmente reapresentada pelo SBT, em 2008, com grande sucesso. O mesmo SBT apresentou Xica da Silva em 2005, às 21h. Na ocasião a novela de Walcyr Carrasco competiu diretamente com a inédita América, de Glória Perez, na Globo.

Anunciada como ágil, reprise acabou sendo longa

Outra novela da Manchete reprisada em outro canal foi A História de Ana Raio e Zé Trovão. Escrita por Marcos Caruso e Rita Buzzar a partir de argumento de Jayme Monjardim, também seu diretor-geral, a novela foi exibida duas vezes entre 1990 e 1993. E também foi o SBT que a resgatou, em 2010, para a faixa das 22h. Inicialmente anunciada como uma reprise de “mais ritmo e menos capítulos”, em virtude de sua boa audiência se pôs de lado esse “ritmo”.

Entre as histórias mexicanas, algumas novelas reprisadas por outros canais, diferentes dos originais

O público brasileiro conheceu as novelas mexicanas Chispita e Simplesmente Maria nos anos 1980 e 1990, através do SBT. Em meados dos anos 1990, a CNT, emissora com sede em Curitiba, reprisou as duas novelas. Posteriormente, em outro ciclo de novelas mexicanas, a mesma emissora transmitiu Amanhã É Para Sempre, então inédita no Brasil. Em 2017, o SBT reapresentou a novela, entre suas Novelas da Tarde.

Novelas da Band em outras emissoras

A Band comercializa algumas de duas produções de dramaturgia para emissoras de alcance local. Algumas delas foram reprisadas por canais como a TV Diário, do Ceará, e a Ulbra TV, do Rio Grande do Sul. A emissora gaúcha reprisou em 2010 Os Imigrantes (1981/82), de Benedito Ruy Barbosa. Todavia, foi uma reprise apenas parcial, de 180 capítulos. Trata-se de uma versão disponibilizada pela Band para operações dessa natureza, compreendendo três das cinco fases da história, que chegou a quase 500 capítulos.

No ar entre 1998 e 1999, Serras Azuis e Meu Pé de Laranja Lima foram reapresentadas pela TV Diário. As duas obras foram escritas por Ana Maria Moretzsohn, adaptadas de romances da nossa literatura. O primeiro, a saber, é de Geraldo França de Lima, e o segundo, de José Mauro de Vasconcelos. A TV Diário as apresentou em 2011.

TV Aparecida

Pela primeira vez uma novela da Globo foi apresentada não apenas em outro canal, mas um canal de fora do Grupo Globo. Com efeito, um caso curioso entre as novelas reprisadas por outros canais. A TV Aparecida fez uma parceria com a emissora carioca e exibiu em 2017 a novela A Padroeira, de Walcyr Carrasco. Originalmente transmitida em 2001/02, a produção não havia sido reprisada até a ocasião, que celebrou os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora, encontrada por pescadores. Essa trama compõe o enredo da novela, bem como milagres da santa junto aos personagens.

Para além do Viva, canais pagos também deram espaço a novelas

Antes mesmo da criação do Canal Viva (lançado em 2010), o Fox Life exibiu em sua programação novelas da Record TV. A Escrava Isaura e Essas Mulheres, transmitidas pela Record TV entre 2004 e 2005, foram reprisadas pelo canal pago. O Investigação Discovery também apresentou uma novela da emissora: Chamas da Vida, em 2015. A saber, na mesma época a história foi reprisada pelo canal original, à tarde. Entre novelas reprisadas por outros canais que não seus originais, são casos bastante curiosos, pelo inesperado.