Multiplicado na grade da Record TV, Sérgio Aguiar se renova para nova proposta do jornalismo

O jornalista Sério Aguiar, aos 48 anos, nesta segunda (9) iniciou uma nova fase profissional em menos de dois meses como contratado da Record TV. Ele, agora, recebe a missão de se adequar ao novo modelo de jornalismo inaugurado pela emissora, e, responsabilizado por boletins noticiosos com o selo ‘JR‘ (Jornal da Record), Aguiar se aproximará do público com uma linguagem mais moderna, dinâmica e precisa, sem perder seus valores analíticos sobre os fatos.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Aguiar avalia seus primeiros momentos na casa e o novo desafio que lhe fora destinado. “Eu já conhecia [o jornalismo da Record TV]. Com 28 de experiência, eu já conhecia toda a tradição e credibilidade da emissora e agora eu estou dentro dela e feliz. O jornalismo da Record TV tem um elenco enorme de repórteres no Brasil e correspondentes internacionais, que, inclusive vão participar dessas edições do Jornal da Record ao longo do dia: Estados Unidos, Europa, Ásia, e isso dá uma certeza que a gente vai ter um produto com uma qualidade ainda melhor, uma grife ainda melhor“, ressaltou o profissional, que reúne em seu currículo 22 anos de GloboNews.

Sérgio Aguiar fez sua estreia na Record TV no início de julho, e, de lá para cá passou a integrar o time de substitutos dos titulares do Jornal da Record. Com a nova função no jornalismo, o profissional não se afastará da atração jornalistica. Esporadicamente Aguiar fará participações especiais no telejornal, além dos boletins. Sobre o que será o JR 24 horas, ele garante apresentação em duas edições, sendo uma no final da tarde e outra no início da madrugada. “São edições em torno de 10 minutos, onde a gente vai abordar os principais temas com muito jornalismo ao vivo e a participação dos nossos repórteres, nas principais praças: Rio de Janeiro, Brasília. Na madrugada a gente vai aproveitar Tóquio por causa do fuso horário, e, mais cedo teremos Nova York, mas, de qualquer maneira, sempre aberto. Onde tem notícia a gente aciona os repórteres. A prioridade é o jornalismo ágil, informativo e ao vivo. Durante a última edição a gente vai ter uma participação efetiva de Brasília com uma parte mais analítica do momento econômico e politico do país“, completou.