Selva de Pedra: a história da novela que volta no Viva 33 anos após seu final, no #TBTdaTelevisão

Nesta quinta-feira, 22 de agosto, o Canal Viva estreia a reprise da novela Selva de Pedra, exatos 33 anos depois da exibição de seu último capítulo em 1986. Na ocasião, a Rede Globo produziu um remake de um dos maiores sucessos de sua teledramaturgia, escrito por Janete Clair em 1972. Na ocasião, a história chegou a 100% de audiência, um marco histórico lembrado até hoje. O #TBTdaTelevisão relembra a história e algumas curiosidades da segunda versão de Selva de Pedra, resgatada pelo Viva e que irá novamente ao ar pelos próximos seis meses.

A trama de Selva de Pedra

O início da história se passa na cidade fluminense de Duas Barras. É lá que mora a família Vilhena, cujo patriarca Sebastião (Sebastião Vasconcelos) abriu mão de sua parte do patrimônio dos pais em prol de uma vida muito humilde, quase miserável, ao lado da mulher Berenice (Yara Lins) e dos três filhos. As moças, Diva (Iara Jamra) e Zelinha (Neuza Caribé), são mais resignadas, mas o mais filho mais velho, Cristiano (Tony Ramos), se revolta com o egoísmo do pai e almeja uma vida melhor, sem as dificuldades pelas quais sempre passara. Ele toca bumbo durante as pregações cristãs do pai em praça pública, enquanto as irmãs vendem flores feitas de papel por poucos trocados.

Ao ser ridicularizado pelo playboy local Gastão (Marcelo Ibrahim), Cristiano se exalta. Todavia, embora a situação se resolva no momento, à noite ele encontra Gastão sozinho na rua e decide tirar satisfação, agora que o jovem está sozinho, sem os amigos para ajudarem-no.

Um suposto assassinato que dá pano pra manga

Cristiano e Gastão brigam e o playboy puxa um canivete. Conforme eles se engalfinham, Gastão atinge a si próprio com a arma e cai. Cristiano se desespera e é abrigado por Simone (Fernanda Torres). Jovem escultora, filha do alfaiate Francisco (Rogério Márcico), ela vira tudo e sabe da inocência de Cristiano. Gastão, por sua vez, não resiste aos ferimentos e morre pouco depois. Enquanto Cristiano vive essa noite tumultuada, perde a chance de ver o tio Aristides (Walmor Chagas), que viajou a Duas Barras chamado por Berenice, desejosa de ajuda do cunhado à família. No entanto, a soberba de Sebastião o impede até do ato de abraçar o irmão que não via havia anos.

Os jornais noticiam a morte de Gastão, e Cristiano resolve fugir de Duas Barras a fim de não ser preso, acusado de assassinato. Simone está de partida para o Rio de Janeiro para dar um pontapé inicial em sua carreira. É no Rio que vive Aristides, a quem Cristiano pretende procurar em busca de ajuda. O casal se apaixona, vai viver na Pensão Palácio, cuja dona Fanny (Nicette Bruno) é uma antiga vedete de teatro, e resolve enfrentar junto a luta na selva de pedra. Mas seus problemas estão apenas começando.

Miro e Fernanda: os vilões de Selva de Pedra

Dois personagens muito marcantes de Selva de Pedra são os vilões. Miro (Miguel Falabella) é um dos moradores da Pensão Palácio, e influencia Cristiano muito mal com sua visão de mundo torta e controversa. Tipo do rapaz que quer se dar bem, sem se importar com o fato de eventualmente prejudicar as pessoas, Miro foi deixado no meio de uma rodovia pelo próprio pai ainda criança. Se ele morresse, a família extremamente pobre poderia embolsar o auxílio-funeral dado pelo Estado.

Um plano terrível para se livrar de Simone

Aristides aumentou ainda mais o patrimônio da família e hoje é dono da Celmu S. A. (Corporação de Estaleiros Linhas Marítimas Universais Sociedade Anônima), empresa na qual trabalha com o filho Caio (José Mayer). Uma das acionistas do estaleiro é Fernanda Arruda Campos (Christiane Torloni), por quem Cris, que esconde sua condição de casado, se interessa e em quem enxerga, influenciado por Miro, uma oportunidade de ascender socialmente mais rápida e facilmente. A jovem rica também se interessa por ele, desconhecendo que seja casado com Simone. Cristiano passa a se dividir entre a mulher e a “namorada”, até que um acontecimento muda a vida de todos.

Convencido por Miro de que precisaria se livrar de Simone para se casar com Fernanda, Cristiano concorda em matar a mulher, com a ajuda do falso amigo. Ele se arrepende do plano, só que não consegue livrar Simone da armadilha. Fugindo de Miro, ela sofre um acidente automobilístico e acaba dada como morta. De consciência pesada, Cris não consegue se casar com Fernanda e a deixa esperando no altar. Em virtude dessa vergonha pública, Fernanda entra num processo lento e gradual de enlouquecimento, ao serem disparados fatores estressores sérios e favorecidos elementos hereditários de problemas psicológicos de sua família.

A volta de Simone – ou melhor, a chegada de Rosana

Na verdade, quem morre no acidente é Lena (Narjara Turetta), uma empregada que acompanhava Simone na ocasião. Com a ajuda de Jorge, a escultora se salva e vai passar uma temporada nos Estados Unidos, de onde volta com outra identidade. Ela se faz passar por Rosana Reis, uma sua irmã gêmea, morta ainda criança. Ela começa a se relacionar com figuras diretamente ligadas a Cristiano, como Caio, Fernanda e Laura, sem maiores problemas porque eles não a conheciam.

Selva de Pedra 1986
Selva de Pedra volta no lugar de Terra Nostra no Viva (Divulgação/Globo)

O marido que se acredita viúvo tem de um lado uma esposa vingativa, desejosa de fazê-lo pagar pelo que fizera, ou quisera fazer. De outro, uma noiva rejeitada, milionária e poderosa, que após a morte de Aristides tem ainda mais poder e torna a vida do amado um inferno. Obra da Censura em 1972, o abandono de Fernanda por Cristiano no altar fez de Selva de Pedra uma história com ainda mais possibilidades de arrebatamento da audiência. O que, com efeito, foi o que ocorreu.

Cristiano enfrenta a Justiça – e Simone conhece a ira de Fernanda

No terço final da novela, Cristiano é confrontado com a acusação formal de ter assassinado Gastão. Os pais do rapaz, Dr. Neves (Ênio Santos) e Sofia (Joyce de Oliveira), jamais deixaram de querer preso o suposto assassino do filho. Um problema a mais para ele, que nesse ínterim comprova que Rosana é Simone. E lida com o tormento representado por Fernanda.

A prisão de Simone por Fernanda

A jovem rica, sabedora de que a rival é a testemunha-chave que pode livrar Cris da cadeia, sequestra Simone e a prende numa casa afastada semanas a fio. Todavia, a jovem consegue se salvar. Embora bastante debilitada, ela consegue chegar em meio ao julgamento na hora exata de prestar seu depoimento, fundamental para o processo. Enlouquecida, Fernanda vai parar num hospício, para tristeza de Caio. Ao passo que Cristiano e Simone enfim conseguem ser felizes juntos, na plenitude de seus sentimentos. E com o aprendizado das provações vividas na selva de pedra.

Os antecedentes de Selva de Pedra

Em 1985, enquanto Roque Santeiro atingia recordes de audiência, a Globo se viu com o problema de decidir que novela viria em seu lugar. E no mês de outubro optou pela regravação de Selva de Pedra, agora colorida, atualizada e com novo elenco. Na ocasião, a emissora ficou entre Cambalacho, de Silvio de Abreu, e Barriga de Aluguel, de Glória Perez, para ocupar a vaga no início de 1986, antes de optar pelo clássico de Janete Clair. Na época, só para ilustrar, também se falou em outros resgates de histórias antigas para novas versões, como Irmãos Coragem. No entanto, após sucessivos adiamentos, apenas em 1995 foi que o projeto saiu.

Tony Ramos e Fernanda Torres foram logo definidos como protagonistas da nova versão de Selva de Pedra. Mas Christiane Torloni só foi escolhida para o papel que marcou a carreira de Dina Sfat no original após Bruna Lombardi, convidada antes, não se acertar com a produção. Tampouco Miguel Falabella foi a primeira escolha do diretor Walter Avancini para viver Miro. Inicialmente pensou-se em Ney Latorraca, que recusou o convite. Quem ganhou foi Miguel, que com Miro se afirmou de vez como promessa de sua geração. Promessa cumprida, diga-se.

De Sílvia Bandeira a Maria Zilda: uma troca que marcou época

Mas foi a troca de Sílvia Bandeira por Maria Zilda Bethlem que ficou mesmo para a posteridade. Sílvia gravou os primeiros 20 capítulos da novela como Laura, a mulher de Aristides. Foi escalada por Avancini, mas Daniel Filho, supervisor do projeto, trocou-a por Maria Zilda. Era a atriz que queria para a personagem desde sempre. Só para ilustrar, Avancini dirigiu mais da metade da primeira versão. E foi aqui lembrado para implantar a nova e modernizar sua linguagem visual, sendo logo após isso substituído por Dennis Carvalho. Em meio à troca, trocaram também as atrizes. Sílvia Bandeira ganhou um papel na novela seguinte do horário, Roda de Fogo. Com efeito, sem o mesmo destaque de Laura.

Mais uma das campeãs de pedidos do Viva entra no ar

O Canal Viva entrou no ar em 2010. Nesses quase 10 anos, Selva de Pedra sempre foi uma das novelas mais pedidas para reprise. Até hoje, a produção é o único remake que ocupou o horário das 20h (hoje 21h) da Globo. Os 243 capítulos da versão original foram adaptados e condensados em 160. Isso ocorreu em virtude de modificações no ritmo da narrativa das novelas no decorrer dos anos. Em 1986, a novela não foi um fenômeno como Roque Santeiro. No entanto, não pode ser chamada de fracasso, que é algo bem diferente, e cumpriu muito bem a função para a qual foi pensada: substituir com êxito um sucesso daquela envergadura, só mesmo com outro de igual envergadura em ocasiões anteriores, sem que fosse uma simples reprise.