Maria Cecília e Rodolfo gravam especial na TV Gazeta e falam sobre politica, parcerias e mídias sociais: “Não queremos que nossa música seja passageira”

Uma das duplas sertanejas mais consagradas do cenário artístico é, sem dúvidas, Maria Cecília e Rodolfo. Sucesso há 11 anos, o casal continua marcando gerações com suas músicas e figurando com destaque nas principais paradas das rádios por todo o Brasil. Eles  marcaram presença no especial de final de ano da TV Gazeta ao lado de outros grandes nomes. Especial este que será exibido no dia 31 de dezembro, às 22 horas. Em entrevista ao Observatório da Televisão, Maria Cecília e Rodolfo falaram sobre o atual momento do cenário musical no Brasil, o crescimento das plataformas de streaming, política, televisão e projetos para 2019. Confira:

Veja também: Carolina Dieckmann fala sobre repercussão de Afrodite em O Sétimo Guardião e afirma sobre o machismo: “Há possibilidade de transformação”

Responsabilidade de influência e opinião política

“A internet hoje ficou um meio difícil porque as pessoas não sabem o que é verdade e o que é mentira. Cada um toma para você a verdade que ela quer. Nós como pessoas públicas temos que tomar muito cuidado com o que a gente fala.  A gente influencia muitas pessoas e às vezes a gente não tem conhecimento total do assunto para expor o que a gente está pensando. Numa eleição o voto é secreto, temos que falar quando temos certeza de alguma coisa e quando não tem ódio. Essa eleição foi muito motivada ao ódio. Existiu essa coisa de você ser punido, foi algo muito sério. E os nossos fãs entendem. Nós não nos posicionamos em coisas que não temos total conhecimento.” – Maria Cecília 

“Não teve uma pressão dos nosso fãs com a gente. Também não me senti na obrigação de falar de nada. Mas tem algumas pessoas públicas que se sentiram na obrigação de falar. Se você se sente na obrigação de falar do seu voto, você tem que se explicar, você não tem que arrebanhar eleitores para o seu voto, você não está ganhando para isso. E foi o que a gente viu nessa eleição. Parecia time de futebol, brigas que não levam a lugar nenhum. Eu torço pelo Brasil, nosso país tem que caminhar para frente e melhorar. Não foi um ano fácil para o show business, para a música,  passamos por este ano e vamos trabalhar para que o ano de 2019 seja melhor.” – Rodolfo 

Novas mídias

“Eu acho maravilhoso este crescimento das plataformas de streaming. Todo mundo tem o direito a oportunidade de aparecer. Na internet, se as pessoas gostarem de você, elas vão te abraçar, mas ainda não é uma coisa palpável. Por mais que exista não sei quantos milhões de vizualizações, mas, e ai? … e o que você construiu e o que você está fazendo da sua história? Você fez parte da vida das pessoas? marcou a vida das pessoas? … não queremos que nossa música seja passageira, não queremos que ela toque só hoje. Queremos que as pessoas cresçam ouvindo nossa música e que ela marque uma etapa da vida das pessoas. E isso a nossa música fez, graças a Deus. Temos 11 anos de carreira e realmente as pessoas cresceram ouvindo a gente. É muito especial isso. Acredito que tenham que se preocupar um pouco mais com o que estão entregando ao público. Não é só fazer sucesso hoje, falar um monte de abobrinha e não ter conteúdo. Acho que as coisas tem que ser um pouco mais consistentes.” – Maria Cecília 

“A internet possibilitou a aparição de novos artistas. Mas acho que banalizou muita coisa, e virou um meio de negócio, você pode investir num produto e isso te traz um retorno. Mas é preciso ter uma consistência, ter uma base. A música não pode ter prazo de validade. Ela tem que marcar a vida das pessoas de alguma forma. Todo artista tem que trabalhar para isso.” – Rodolfo