Globo Repórter mostra os efeitos e benefícios do sal

Globo Repórter
Bette Lucchese no Salar de Uyuni, na Bolívia (Divulgação/ TV Globo)

Mocinho ou vilão? O corpo humano não funciona sem sal: o sódio dá sede, faz com que as pessoas bebam água e, consequentemente, eliminem toxinas pela urina. Por outro lado, o excesso do tempero provoca problemas. A pressão alta é um deles: um em cada três brasileiros com mais de 18 anos sofre de hipertensão, doença que pode levar a infarto, derrame cerebral ou AVC. Os efeitos e benefícios do sal são o tema do Globo Repórter desta sexta-feira, dia 10.

Leia também: Grazi Massafera desabafa: “A maternidade despertou minha paixão pela arte”

A repórter Bette Lucchese vai a Porto Alegre entrevistar o casal de médicos Sandra e Flávio Fuchs, que há mais de 20 anos estudam os efeitos do sal no corpo humano. É deles a maior pesquisa sobre hipertensão já realizada no Brasil. Mas o sal que aumenta a pressão também pode ajudar pessoas que sofrem de problemas respiratórios. O ‘Globo Repórter’ mostra uma câmara usada na terapia do sal, conhecida como haloterapia. Quatro toneladas e meia de sal criam uma espécie de caverna, onde as micropartículas suspensas no ar inibem e matam fungos e bactérias. Esse tratamento foi descoberto por acaso quando, no fim do século XIX, um médico polonês percebeu que os mineiros tinham uma saúde respiratória melhor que a da população em geral.


O soro caseiro, combinação de água, sal e açúcar, também é lembrado pelo programa. Florestópolis, no interior do Paraná, já teve alto índice de mortalidade infantil causada pela desidratação. De cada mil nascidos, 127 não completavam o primeiro ano de vida. A situação mudou graças ao soro caseiro, que já salvou 50 milhões de crianças em todo o mundo.

Novamente na estrada, a equipe viaja do Rio Grande do Norte, o maior produtor de sal do Brasil, até o Salar de Uyuni, na Bolívia, o maior deserto de sal do planeta. No caminho, muitas histórias e curiosidades sobre o mineral. Uma ilha de sal mostra como é dura a vida dos brasileiros que trabalham nas salinas. Um hotel feito de sal revela as belezas do altiplano boliviano, cheio de lhamas e flamingos. O programa ainda explica porque o sal é usado em cerimônias de purificação de diversas religiões.