Compulsão alimentar é tema do ‘Como Será?’ deste sábado

Como Será?
Alexandre Henderson no Como Será? (Divulgação/ TV Globo)

No ‘Como Será?’ deste sábado, dia 11, o quadro ‘Posso Ajudar?’ trata de compulsão alimentar. O episódio mostra a história de Paulo Henrique Moura, que exagera na ingestão de doces e vem sofrendo com o aumento de peso. Com ele, Paulo enfrenta um problema ainda maior: uma dolorosa hérnia de disco. Com auxílio da psicóloga Lucimara Pizotti, ele compreende as possíveis razões para seu comportamento compulsivo e recebe dicas de como combatê-lo. Paulo também recebe ajuda da aromaterapeuta Andrea Darco, que indica um óleo essencial de acordo com sua personalidade, além de um tratamento noturno para diminuir a ansiedade. No estúdio, Alexandre Henderson – que apresenta o programa deste sábado no lugar de Sandra Annenberg – recebe Paulo e as especialistas para saber se ele conseguiu abandonar a compulsão por doces.

Leia também: O Outro Lado do Paraíso: Mercedes tem sensação estranha ao ver Renato com Clara

No ‘Hoje é dia de… se divertir trabalhando’, Alexandre Henderson mostra a rotina de quem consegue ganhar dinheiro com uma tarefa prazerosa. Ele acompanha a rotina das seguintes funções: DJ, cujo trabalho passa pela escolha das músicas, mixagem e relacionamento com o público; crítico de cinema, que precisa estudar para analisar diferentes obras; o testador de videogames, que entende de design e programação para identificar possíveis bugs; além dos provadores de sorvete, chocolates e cerveja.


A repórter Helena Lara Resende apresenta o projeto Teatro do Sopro, que desenvolve dinâmicas para trabalhar a empatia e a sensibilização por meio de conceitos de resgate e construção de relações de forma lúdica. Criada por um canadense e uma brasileira, a iniciativa começou como um grupo de teatro terapêutico para idosos, mas evoluiu e criou uma metogologia própria, o ‘empatilhaço’.

Moradores de uma vila há 38 anos, Ana Míriam e Píndaro Mendes recebem a visita da equipe do quadro ‘Choque Ambiental’ no episódio deste sábado. A casa em que vivem é quente e tem um dos banheiros inutilizados por conta de objetos em desuso acumulados durante anos. Renato Cunha e a arquiteta Ana Lúcia Andrade propõem soluções simples e econômicas para melhorar a circulação de ar da casa e diminuir o calor, além de ajudar o casal a se desfazer de alguns objetos.