Roupa para trio de rap é o desafio de Alexandre Herchcovitch no Corre e Costura deste sábado

Corre e Costura
Corre e Costura

Alexandre Herchcovitch, sua mãe Regina e seu amigo Rhody, vão até o bairro Cidade Tiradentes, em São Paulo, conhecer o grupo de rap feminino A’s Trinca. O trio está prestes a lançar o primeiro álbum da carreira e precisa de uma roupa especial que defina a identidade do grupo e respeite os gostos pessoais das cantoras. Nay, Nina e Kel não querem vestir roupas largas e masculinizadas características do rap dos anos 2000, ao mesmo tempo que não querem perder a referência do Hip Hop, e se recusando a usar algo feminino, que seja decotado e marcado demais no corpo.

Alexandre fica confuso com o briefing das cantoras e faz a lista de compras sem saber exatamente quais peças vai costurar e Regina passa o dia pressionando o estilista para que acelere o processo de modelagem. Enquanto Rhody circula pela Cidade Tirandentes procurando lojas de tecidos e aviamentos, a prova da peça piloto gera mais dúvida se o caminho escolhido é o correto.

No dia seguinte, o trabalho começa acelerado e Alexandre tem pouco tempo para conversar com a Reverie, rapper norte-americana que gravou uma música com A’s Trinca, em visita ao ateliê. Em um salão próximo ao ateliê, o grupo recebe um presente especial de Celso Kamura, que trabalha na beleza das três valorizando os cachos e estilos de cada uma. A entrega das roupas é acompanhada pelo DJ e por produtores de A’s Trinca. Rhody também ficou vendado e descobriu o que o Alexandre criou junto com as cantoras.