Domingo Show conta história de prima do ex-goleiro Taffarel, que largou a fama nos anos 2000 e sobreviveu a doença grave

Domingo Show vence SuperStar por longo período; Legendários lidera
Domingo Show (Divulgação)

No dia 25, o Domingo Show conta a comovente história de Fábia Taffarel, prima do ex-goleiro Taffarel, da seleção brasileira. Ela foi modelo famosa nos anos 2000, estampou várias capas de revistas e trabalhou em programas de TV. Fábia, porém, abandonou a carreira promissora, quando conheceu Sergynho, ex-vocalista das bandas Cheiro de Amor e Pimenta Nativa, e se tornou empresária dele até 2007. Anos mais tarde, fez uma cirurgia para retirar um tumor na cabeça. Mesmo sendo benigno, deixou sequelas – como perda da visão periférica e paralisação do lado esquerdo – e até hoje anda com dificuldade. No quadro Eu Sobrevivi com Andressa Urach, Fábia fala da luta contra a doença que completa 11 anos. Nesse processo até o diagnóstico exato, chegou a andar de cadeiras de rodas, sofreu convulsões, usou fraldas e ouviu de médicos que nunca mais conseguiria andar. Uma verdadeira história de superação.

Outro destaque é Pedro, um garotinho de apenas 11 anos de Medina, MG, que emocionou a cidade inteira por causa de seus dois sonhos: ser cantor e conseguir um tratamento para ajudar a mãe a se livrar do vício do álcool. Será que ela vai querer? O programa preparou uma surpresa para o menino: ser avaliado pelo produtor musical de Wesley Safadão e Chitãozinho & Xororó. Como ele vai se sair? O final desta história promete ser emocionante, ao vivo, no palco do Domingo Show.

E ainda: uma matéria sobre o “Baile dos Crespinhos”. Para quem nunca ouviu falar do grupo, são dezenas de crianças com muito estilo que se reúnem no Rio de Janeiro para dançar. E o ídolo dessa galerinha simpática é o cantor Buchecha, que fará uma surpresa especial para eles. No palco, ao vivo, 14 crianças do baile vão se apresentar no palco.


Domingo Show é apresentado por Geraldo Luís e vai ao ar ao vivo, a partir das 11h, com direção geral de Rafael Perantunes e direção executiva de Givanildo Menezes.