Jô Soares dedica programa a Domingos Montagner

Jô recebe Selma Egrei
Jô recebe Selma Egrei

“Eu sou a vida incessante que corre nas águas do rio”. Com esse verso, Jô Soares acrescenta às palavras de Mary Elizabeth Frye, no poema “Não chore à beira do meu túmulo”, a sua homenagem a Domingos Montagner. Em pé, à frente de sua bancada em que já recebeu inúmeros artistas, o apresentador dedica não só essa poesia, como também o ‘Programa do Jô’ desta terça-feira, 20, ao ator, que faleceu na última quinta-feira, dia 15. Pela primeira vez na atração, a atriz Selma Egrei, colega de elenco de ‘Velho Chico’, comenta como está o clima após a fatalidade. “É muito difícil de entender e de aceitar. Foi muito repentino e absurdo”, lamenta. O apresentador também destaca que estava à procura de uma brecha na agenda de Domingos para convidá-lo a participar do talk show. “Esse trabalho me chamou muito a atenção. Quando vi uma cena dele na novela, ele me lembrou muito o Juca de Oliveira mais novo”, conta Jô.

Além de abordar a morte repentina de Domingos, a conversa com Selma também passa por sua personagem em ‘Velho Chico’, Dona Encarnação, que completou 100 anos na trama. Selma revela curiosidades da caracterização, como o truque da aplicação de látex na pele, para delimitar e criar novas rugas. A atriz também relembra a carreira, que inclui diversos trabalhos no cinema e, principalmente, no teatro. Entre os grandes amigos e inspirações, o diretor Antônio Abujamra é responsável pelo retorno de Selma às artes cênicas após 10 anos afastada para estudar terapia ocupacional: “Abu foi meu mestre no teatro. Tive o privilégio de conviver com ele e disse que só voltaria a atuar quando ele voltasse a dirigir no teatro”. Assim, um dia, Selma conta que recebeu uma ligação do amigo e o convite de retornar aos palcos. “Não sou de projetos, aguardo o que a vida vai trazer”, compartilha.

O segundo entrevistado da noite é o médico otorrinolaringologista Rodrigo Oliveira Santos. Especialista em cirurgia de cabeça e pescoço, o professor da Escola Paulista de Medicina realizou em abril uma viagem ao Benin, na África, para realizar operações em adultos e crianças que moram no país, e conta como foi a experiência. Acompanhado de uma equipe de 20 profissionais, o grupo custeou a viagem e o material cirúrgico com a venda de rifas. Uma das dificuldades para o médico foi, além da infraestrutura precária no local, a comunicação com os pacientes. Por isso, tradutores auxiliaram os profissionais durante os procedimentos cirúrgicos.


O ‘Programa do Jô’ vai ao ar de segunda a sexta-feira, logo após o ‘Jornal da Globo’.