O jornalista Matheus Ribeiro (Divulgação / Globo)
O jornalista Matheus Ribeiro (Divulgação / Globo)

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás (SindJor Goiás) veio a público no último sábado (16) posicionar-se oficialmente a respeito das declarações homofóbicas e racistas dadas pelo radialista Luiz Gama a respeito do exercício da profissão de jornalista no Brasil.

Através de nota de repúdio publicada no Instagram, o órgão declarou “repudiar as graves acusações sofridas recentemente por jornalistas, que se viram caluniados em suas ascensões profissionais com insinuações de ligações dessas promoções com suas orientações sexuais e a cor de suas peles“.

O SindJor Goiás se solidariza com esses profissionais, que têm atuado de forma ética e responsável em nossa profissão e por isso são merecedores das promoções que conquistaram nas empresas às quais prestam serviços. Por fim, repudiamos, de forma veemente, os detratores, que merecem voltar para a escória da sociedade“, conclui o texto.

Destilando preconceito

O texto divulgado pelo sindicato goiano faz clara referência às recentes declarações de Luiz Gama. “Onde o Brasil vai parar? Queimar a rosca agora é moda. Um apresentador de telejornal de qualidade média virou a bola da vez no jornalismo nacional só porque revelou que sua rosquinha está à disposição“, ‘queixou-se’ no Twitter o radialista da BandNews FM.

As afirmações de Gama foram interpretadas como uma reação ao fato de o jornalista Matheus Ribeiro, assumidamente homossexual, ter sido escalado pela Rede Globo para apresentar uma das edições recentes do Jornal Nacional. O próprio Matheus confirmou que vai processar Gama por essa atitude.

View this post on Instagram

#Notaderepúdio #SindjorGoiás

A post shared by Jornalistas de Goiás (@jornalistasgo) on

Últimos vídeos do Canal no YouTube