Roberto Marinho Neto: o filho de José Roberto Marinho assumiu um novo cargo estratégico no novo Grupo Globo (Reprodução: TV Globo)
O filho de José Roberto Marinho assumiu o setor de Esporte da Globo (Reprodução: TV Globo)

No comando do Esporte da Globo desde 2016, Roberto Marinho Neto está deixando a gestão esportiva do Grupo Globo. Em uma nova configuração, divulgada nesta sexta-feira (8), Roberto Marinho Neto vai assumir a empresa Globo Ventures, uma espécie de joint-venture criada para que os acionistas do Grupo Globo supervisionem todo o trabalho feito.

Segundo apurou o Observatório da Televisão, a criação desta empresa faz parte da finalização do projeto Uma Só Globo, que pretendeu unir todas as áreas de atuação do Grupo Globo em uma só. A função de Roberto Marinho Neto e da Globo Ventures será convencer acionistas em investir em novos negócios no mercado.

A notícia foi dada em um grande organograma assinado por Jorge Nóbrega, presidente do Grupo Globo desde 2017. Neste comunicado, ele elogia a gestão de Roberto Marinho Neto no Esporte da Globo e o trabalho que ele fez na área desde que assumiu, usando como exemplo as coberturas das Olimpíadas de 2016 e da Copa do Mundo em 2018.

“A integração do Esporte, iniciada em 2016, foi parte fundamental para chegarmos aonde estamos. Sob a liderança de Roberto Marinho Neto, fizemos história na cobertura das Olimpíadas e na Copa do Mundo, comprovando o potencial de atuarmos juntos. Com o novo modelo, Roberto Marinho Neto deixa o comando do Esporte para assumir a Globo Ventures”, diz Nóbrega.

“Ele assume com a responsabilidade sobre os investimentos diretos dos acionistas em novos negócios e em ventures, sempre mantendo uma relação constante e de proximidade e troca com a Globo. A Globo Ventures estará ligada ao Conselho Administrativo e a mim, como forma de facilitar a integração”, completou o executivo.

Integração do Grupo Globo continua em 2020

Também segundo Nóbrega, a integração do Grupo Globo vai continuar no ano que vem, mas em um novo passo. “Com a divulgação de hoje, começamos uma nova etapa de detalhamento da estrutura das áreas, com a participação das lideranças envolvidas, que assumem suas novas funções em 2020”, explica ele.

Nesta nova configuração, a Globo unificou todas as suas marcas, como TV Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com, Globoplay e Digicorp, em um única empresa, chamada apenas Globo.

“A marca Globo como a conhecemos hoje, sinônimo de TV aberta, passa a dar nome a uma empresa nova, ampliada, integrada e orientada a novos desafios e oportunidades. Estamos transformando nossos negócios atuais e desenvolvendo novos. A experiência digital mudou muito a maneira como o público consome mídia, conteúdos e serviços, e nós mudamos junto”, explicou Jorge Nóbrega.

“O investimento que estamos fazendo em novas tecnologias e modelos de negócio não implica abandonar as nossas forças tradicionais. Nossa estratégia amplia a força da televisão, ao unir TV aberta e TV fechada às oportunidades digitais, com o consumidor no centro do negócio”, completa ele.

Nova organização da Globo começa a valer em janeiro de 2020

No comunicado, a Globo ficará organizada pela seguinte forma:

  • Canais Globo (TV Globo, gestão da rede de afiliadas e portfólio de canais de TV por assinatura). Paulo Marinhoo, que até então era diretor-geral de conteúdo e canais da Globosat, comanda a área.
  • Criação & Produção de Conteúdo (criação e produção para todas as plataformas de conteúdos de entretenimento, esporte e jornalismo) – terá o comando de Carlos Henrique Schroder, atual diretor-geral da TV Globo.
  • Produtos & Serviços Digitais (Globoplay, G1, Globoesporte.com, GShow, a home da Globo.com, Cartola e outros produtos) – será de responsabilidade de Erick Brêtas.
  • Soluções Integradas de Publicidade (venda de publicidade e monetização de inventários lineares e digitais) – O comando será de Eduardo Schaeffer.
  • Aquisição de Direitos (que cuidará da aquisição dos diretos de transmissão para produção audiovisual, principalmente em esportes e entretenimento). Essa área será comandada por Pedro Garcia.
  • Estratégia & Tecnologia (visão de longo prazo no negócio, parcerias e alinhamento estratégico para transformar a Globo em uma empresa de mediatech). O comando será de Rossana Fontenelle.
  • Marca & Comunicação – o comando será de Sergio Valente.
  • Finanças, Jurídico & Infraestrutura – área será liderada por Manuel Belmar.
  • Recursos Humanos – continuará sendo gerida por Claudia Falcão.
  • Relações Institucionais – terá liderança de Paulo Tonet.
  • Som Livre (que abrange o Sistema Globo de Rádio) – será comandada por Marcelo Soares.

Veja o comunicado na íntegra:

Últimos vídeos do Canal no YouTube