Poliana (Sophia Valverde) diante da Escola Ruth Goulart: alta audiência no SBT (Reprodução/SBT)
Poliana (Sophia Valverde) diante da Escola Ruth Goulart (Reprodução/SBT)

Não é raro ver uma novela de muito sucesso ganhar um ‘espichamento’ na telinha – isto é, ter o número de capítulos ampliado em relação ao cronograma original. Em alguns casos, porém, o êxito é tamanho que o formato de telenovela acaba se confundindo com o de série de TV, recorrendo a um artíficio comum às narrativas semanais da TV paga para se manter no ar: a criação de novas temporadas.

É exatamente o que o SBT determinou fazer, há pouco mais de uma semana, para continuar colhendo os louros do sucesso de sua atual novela infantil, As Aventuras de Poliana. Inicialmente programada para sair do ar em julho de 2020, a saga estrelada por Sophia Valverde ganhará uma segunda temporada que garanta sua permanência na grade por 12 meses além do previsto. Ou seja: Poliana e sua turma só saem de cena em meados de 2021!

Embora ainda cause estranheza numa parcela mais conservadora do público, essa ‘seriadização’ das telenovelas está longe de ser novidade na televisão brasileira. Vamos relembrar alguns casos de folhetins que se renovaram continuamente para assegurar um tempo maior junto à audiência.

Elenco de Malhação: Toda Forma de Amar com Ludmilla
Elenco de Malhação: Toda Forma de Amar, atual temporada do programa (Divulgação/ TV Globo)

Malhação (1995-)

Primeiro protótipo de novela dividida em temporadas da história da TV brasileira, foi concebida pela Globo num formato similar aos das soap operas americanas, com elenco e trama rotativos e a possibilidade de permanecer por anos ou até décadas no ar – o que, de fato, aconteceu e ainda vem acontecendo.

Até 1998, tinha suas histórias ambientadas numa academia de ginástica, justificando o título. A partir de 1999, esse cenário foi alterado para um colégio de ensino médio, mantendo – até a atualidade – o foco no público adolescente. A partir de 2013, as temporadas passaram a ter subtítulos específicos, que ajudavam a diferenciar uma das outras. Até agora, Malhação acumula mais de 6 mil capítulos, divididos em 27 ciclos. Haja fôlego!

Chiquititas 1997 (Reprodução: SBT)
Elenco da primeira versão de Chiquititas (Reprodução: SBT)

Chiquititas (1997-2001)

Talvez animado pela estreia de Malhação na concorrente ‘platinada’, o SBT importou da Argentina esse formato similar, voltado, porém, para crianças. A primeira versão brasileira de Chiquititas era filmada em Buenos Aires, nos mesmo estúdios da original hispânica, e transmitida por aqui por Silvio Santos, como se fosse ambientada em São Paulo.

Além de ter se tornado uma verdadeira febre entre os baixinhos da época, Chiquititas foi responsável por lançar grandes talentos da mídia atual, como Fernanda Souza, Bruno Gagliasso, Débora Falabella e os irmãos Kayky e Sthefany Brito. Somou, ao todo, 808 episódios, divididos em cinco temporadas – todas protagonizadas pela mesma atriz adulta, Flávia Monteiro.

Em 2013, recordando esse superêxito noventista, o SBT produziu sua segunda versão da história, agora rodada integralmente no Brasil. Encarregada da adaptação, Íris Abravanel optou por eliminar a divisão por temporadas, optando por uma narrativa mais linear ao longo de seus quase 600 capítulos. Para isso, a autora mesclou enredos dos três primeiros ciclos da versão de outrora.

Joana Limaverde e Dalton Vigh em cena da novela Estrela de Fogo (Divulgação / Record TV)
Joana Limaverde e Dalton Vigh em cena da novela Estrela de Fogo (Divulgação / Record TV)

Estrela de Fogo (1998-1999)

Quem disse que somente obras infanto-juvenis têm direito à ‘renovação’ na grade? Focada no universo country, esta co-produção entre a Record TV e a VTM alcançou um êxito acima do esperado, levando a emissora a decidir renovar parte da trama para mantê-la no ar por mais alguns meses.

A morte do protagonista original, vivido por Fúlvio Stefanini, marcou a divisão entre as duas temporadas de Estrela de Fogo, que ‘ganhou’ do autor Yves Dumont, além de uma passagem de tempo, novos personagens e núcleos para movimentarem-na ainda mais. Foram onze meses no ar e 248 episódios totais – 140 da primeira fase, e outros 108 correspondentes à segunda.

SBT
Protagonistas da versão mexicana de Rebelde (Foto: Divulgação/ Televisa)

Rebelde (2004-2006 / 2011-2012)

Primeira novela importada a ser transmitida no Brasil entre temporadas. Assim como o fora Chiquititas em sua época, a mexicana Rebelde tomava por base um original argentino da produtora Cris Morena, agora voltado à mesma faixa etária de Malhação. O sucesso foi estrondoso, tanto por aqui como em outros países, e a obra musical somou 440 capítulos ao longo de suas três fases (215 + 120 + 105).

Em 2011, a Record TV fechou uma parceria com a Televisa para produção de novelas e acabou levando ao ar a versão brasileira de Rebelde – bem livre em relação ao remake mexicano e à original portenha. Desta vez, foram só duas temporadas, porém tão longas que se aproximaram bastante da duração completa na Televisa – 410 episódios (256 + 154).

Floribella
Elenco principal de Floribella (Divulgação/ Band)

Floribella (2005-2006)

Mais uma obra original da argentina Cris Morena a desembarcar no Brasil, agora em roupagem internacional. Mesmo indo ao ar em uma emissora menor – a Band -, Floribella foi bastante popular entre as crianças e adolescentes da época, levando a turma do Morumbi a encomendar uma segunda temporada da trama. Ambos ciclos totalizaram 342 capítulos (169 + 173).

A transição de uma fase para a outra marcou a despedida do galã original, Roger Gobeth, substituído por Mário Frias na segunda parte da história. Essa troca nunca foi do interesse da Band, mas aconteceu por exigência da matriz em Buenos Aires – a versão de lá, Floricienta, promovera tal alteração em nome de problemas de bastidores com seu protagonista.

Cena da novela Caminhos do Coração (Munir Chatack / Record TV)
Cena da novela Caminhos do Coração (Reprodução / Record TV)

Saga Os Mutantes (2007-2009)

Animada com o sucesso das atrações infanto-juvenis no SBT e na Band, a Record TV resolveu fazer sua primeira grande investida no filão – sem apelar, porém, para a regravação ou retransmissão de formatos estrangeiros. Assim surgia Caminhos do Coração (2007), trama de realismo fantástico centrada nas aventuras de humanos que, geneticamente modificados, adquirem habilidades sobrenaturais.

O sucesso foi estrondoso, levando Edir Macedo a bater a Globo várias vezes no Ibope. Por isso, novas temporadas foram encomendadas para manter a história viva e em alta. À distinção, porém, de outros casos semelhantes, cada temporada contou com um título diferente.

Depois dos Caminhos do Coração e seus 240 capítulos, vieram outros 243 em Os Mutantes (2008), seguidos pelos 124 episódios de Promessas de Amor (2009) – a parte menos bem sucedida da trilogia, e justamente por isso com duração bem menor. Tamanha longevidade levou a saga completa a um total de 607 exibições diárias!

Protagonistas da novela argentina Quase Anjos (Divulgação / Band)

Quase Anjos (2010-2011)

Outra criação de Cris Morena – autora de Chiquititas, Rebelde e Floribella -, Quase Anjos foi a única obra da showrunner portenha a ser transmitida no Brasil em sua versão original, e não num remake nacional ou mexicano. Produzida na Argentina entre 2007 e 2010, a atração totalizou por lá 579 capítulos, divididos em quatro temporadas.

A maior parte deles, porém, não foi levada ao ar pela Band. Explica-se: a emissora do Morumbi simplesmente ‘pulou’ o primeiro ano da história e começou a transmiti-la a partir de seu segundo ciclo, precedido apenas por um prólogo dos episódios anteriores.

Em 2011, satisfeitos com os resultados da atração latina no ano anterior, os irmãos Saad importaram também a terceira temporada de Quase Anjos, mas o sucesso não se manteve. Com isso, a história teve sua transmissão interrompida antes do final daquele ciclo, e o quarto ano mantém-se totalmente inédito até hoje. Por isso, sua duração aqui ficou bem menor – apenas 275 episódios transmitidos.

Os Dez Mandamentos
Sérgio Marone, Camila Rodrigues e Guilherme Winter: protagonistas de Os Dez Mandamentos (Divulgação/ RecordTV)

Os Dez Mandamentos (2015-2016)

Assim como Os Mutantes cerca de dez anos antes, a saga bíblica escrita por Vívian de Oliveira realizou a façanha de superar a Globo no horário nobre – nos episódios mais marcantes, chegou a abrir vantagem de 8 pontos sobre o canal carioca. E a Record TV, mais uma vez, decidiu explorar esse êxito até a última gota.

Inicialmente prevista para durar 140 capítulos, Os Dez Mandamentos se despediu com 176 e a promessa de uma nova temporada para o ano seguinte. Esta de fato ocorreu, acrescentando outros 66 episódios à saga de Moisés (Guilherme Winter). Vale lembrar que em 2017, quando a história foi reprisada, os 242 capítulos totais foram reprisados em sequência, ignorando a divisão por temporadas.

Últimos vídeos do Canal no YouTube