Nesta segunda-feira (28), o Conexão Repórter, do SBT, mostra como um homem, funcionário de uma multinacional, músico e estudante universitário, foi parar na prisão acusado de estar envolvido em um assassinato. Em uma investigação exclusiva, Roberto Cabrini revela os detalhes de um caso que pode ter colocado um inocente atrás das grades. O jornalístico será exibido logo após o Programa do Ratinho, a partir das 23h45.

Entrevista exclusiva

O jornalístico viaja a Taubaté, interior de São Paulo, para uma entrevista no Centro de Detenção Provisória. Lá, Antônio Carlos dos Santos Jr., conhecido como Tonhão, se diz injustiçado, preso por um crime que alega não ter cometido. Acusado de integrar uma quadrilha que fuzilou e assassinou uma jovem fisioterapeuta, em 2014, Tonhão foi preso um mês depois sob alegação de que teria fornecido as armas para o crime. Tudo aconteceu na pequena Cruzeiro, vizinha a Taubaté, onde muitos afirmam que Tonhão é inocente.

Culpado

O homem diz que estaria pagando o preço da cor de sua pele. Multidões se mobilizam por ele e, do interior da prisão às ruas, o programa mostra como a discussão mobilizou uma comunidade. Do outro lado, o delegado que investigou o caso diz estar convencido da culpa de Tonhão. Cabrini investiga os detalhes do caso e vai atrás de fatos que podem inocentar Tonhão. O carro que nunca foi devidamente identificado, uma testemunha chave que jamais foi procurada pela polícia, fotos de integrantes da quadrilha juntos nas redes sociais em que Tonhão nunca aparece. Confrontado com estas informações, o delegado, que tem quase 30 anos de profissão, defende seus métodos. Entre idas e vindas, após 4 anos e 8 meses na cadeia, o programa também conversa com a família, inconformada, e mostra a filha pequena que sente falta do pai.

Últimos vídeos do Canal no YouTube