Prestes a voltar ao horário nobre da Globo – como uma das protagonistas de Amor de Mãe, substituta de A Dona do Pedaço -, Taís Araújo relembrou neste início de semana sua primeira passagem como protagonista de uma trama da faixa, em Viver a Vida (2009). A trama de Manoel Carlos completou nesta segunda (16) dez anos de sua estreia.

Aproveitando o gancho comemorativo, a esposa de Lázaro Ramos festejou o aniversário do folhetim – onde deu vida a mais uma Helena da galeria do renomado autor – e recordou os momentos positivos e negativos dessa experiência, a qual hoje considera como um divisor de águas em sua carreira de atriz.

Há 10 anos, neste horário, estreava Viver a Vida. A novela que mudou minha história. Tenho algumas mudanças na minha história – Xica da Silva (1996) foi uma delas. Mas foi com Viver a Vida que eu tive a chance, mais madura, de rever minha profissão, minhas escolhas, minha vida“, considerou.

Representatividade importa

Quando a novela estava no ar, fiquei muito confusa sem saber o que as pessoas estavam realmente achando, recebi críticas duras e me apeguei a elas. Ao mesmo tempo, quando ia até São Paulo, naquele aeroporto onde parte do Brasil se encontra, eu era saudada pelas pessoas. Claro que a gente só se apega ao que é ruim, né? Como hoje em dia com os comentários da internet…“, refletiu.

Passados os anos, eu tenho recebido tantas, mas tantas mensagens de meninas, agora já mulheres, que se sentiam representadas pela personagem, escuto falar tanto do cabelo crespo assumido numa novela da 21h, escuto tantas coisas lindas que tenho certeza que o saldo foi mais que positivo. Além de ter ganhado amigos pra toda uma vida“, acrescentou a atriz.

View this post on Instagram

Há 10 anos, neste horário, estreava Viver a Vida. A novela que mudou minha história. Tenho algumas mudanças na minha história – Xica da Silva foi uma delas. Mas foi com Viver a Vida que eu tive a chance, mais madura, de rever minha profissão, minhas escolhas, minha vida. Quando a novela estava no ar, fiquei muito confusa sem saber o que as pessoas estavam realmente achando, recebi críticas duras e me apeguei a elas. Ao mesmo tempo, quando ia até São Paulo, naquele aeroporto onde parte do Brasil se encontra, eu era saudada pelas pessoas. Claro que a gente só se apega ao que é ruim, né? Como hoje em dia com os comentários da internet…🤷🏾‍♀ Passados os anos, eu tenho recebido tantas, mas tantas mensagens de meninas, agora já mulheres, que se sentiam representadas pela personagem, escuto falar tanto do cabelo crespo assumido numa novela da 21h, escuto tantas coisas lindas que tenho certeza que o saldo foi mais que positivo. Além de ter ganhado amigos pra toda uma vida. Então, 10 anos depois, com o coração bem cheio de amor, digo: obrigada, Maneco; obrigada, Jayme; obrigada a todo elenco e equipe, que estiveram comigo nesse processo tão importante da minha vida. E obrigada, Helena, por me abrir os olhos, o coração e me dar coragem pra levantar e seguir de cabeça erguida em busca do que eu acredito. E ainda mais obrigada por me fazer entender que não existe jogo ganho e que o barato dessa profissão é o eterno recomeçar.

A post shared by Taís Araujo (@taisdeverdade) on

Últimos vídeos do Canal no YouTube