Sebastián Rulli, Angelique Boyer e Aarón Díaz protagonizam a novela Teresa (Divulgação / Televisa)
Sebastián Rulli, Angelique Boyer e Aarón Díaz, os protagonistas da novela Teresa (Divulgação / Televisa)

Teresa já acabou no SBT, mas as dores de cabeça do canal de Silvio Santos em relação à trama mexicana estão apenas começando. O procurador da República, Fernando de Almeida Martins, entrou com uma ação civil pública contra o canal de Silvio Santos por ter exibido a história protagonizada pela francesa Angelique Boyer em período vespertino.

De acordo com informações do portal NaTelinha, a demanda foi ajuizada nesta quarta-feira (24) pelo Ministério Público Federal de Minas Gerais (MPF-MG). O processo pede que o SBT seja condenado a pagar R$ 7,7 milhões em indenização por danos morais coletivos, em virtude da transmissão do drama latino em ‘horário inapropriado’.

Teresa, vale lembrar, já havia sido transmitida anteriormente pelo SBT em 2016, no mesmíssimo horário das 17h. Neste então, a trama obedecia a uma edição mais rigorosa e levava classificação indicativa de 10 anos. Durante a recém-concluída reprise, porém, acabou reclassificada pelo Ministério da Justiça (MJ), para maiores de 12 anos, em virtude da presença de conteúdos como assédio sexual e suicídio.

“Ao veicular a novela em horário inapropriado, veiculando conteúdos com potencial para causar danos à formação de crianças e adolescentes que os assistem, o SBT perpetrou um dano moral coletivo de proporções nacionais, pois a obra foi exibida em TV aberta e em rede nacional, tendo suas consequências irradiadas para todo o território brasileiro”, considera o procurador Martins.

Últimos vídeos do Canal no YouTube