Band (Reprodução: TV Band)
Band (Reprodução: TV Band)

A trágica e repentina morte do jornalista Ricardo Boechat na tarde desta segunda-feira (11) abalou a TV e o jornalismo brasileiro. A Band – como não poderia ser diferente – fez uma extensa cobertura sobre o caso. Em luto, a emissora inseriu uma faixa preta no canto direito superior da tela.

Leia também: Band atinge audiência histórica com cobertura sobre a morte do jornalista Ricardo Boechat

Ricardo Boechat morreu aos 66 anos após após queda de um helicóptero que sobrevoava a região do Rodoanel, em São Paulo, e que tinha o profissional como passageiro. Além do profissional, o Corpo de Bombeiros encontrou também corpo do piloto da aeronave, que estava carbonizado. O jornalista realizou uma palestra em Campinas (SP) e estava retornando para a capital.

Jô Soares relata amizade com Ricardo Boechat ao vivo no Brasil Urgente

Esta segunda-feria (11) foi marcada pela trágica morte do jornalista Ricardo Boechat. A Band iniciou uma extensa cobertura desde que foi informado oficialmente pelo Governo do Estado. Durante toda a tarde vários artistas e personalidades entraram ao vivo no Brasil Urgente – que começou logo após o primeiro plantão da emissora. Entre os nomes: Boris Casoy, Carlos Nascimento, o presidente Jair Bolsonaro, o governador de São Paulo João Dória e o amigo pessoal do jornalista, Jô Soares.

“Mais do que um jornalista, era um amigo de infância, de juventude, de começo de carreira. Poucas mortes de amigos me abalaram tanto. É uma  que me pegou totalmente de surpresa. Era uma pessoa que eu amava, admirava. Ele tinha um espírito anarquista muito semelhante ao meu. Já falei isso, mas vou repetir. Poucas vezes eu fui tão abalado pela perda de alguém. Vai fazer muita falta. Vai deixar um buraco gigantesco, tanto na rádio quanto na televisão”, comentou Jô.

“Frequentamos várias redações, várias televisões. Quando vi ele aparecer na televisão pela primeira vez eu falei: ‘Ricardo você achou o seu o seu veículo, você é homem de televisão’. Ele riu, porque ele nem achava isso. Só que ficou claro que ele nasceu para, além de tudo, fazer televisão”, completou.

“Era um jornalista que se expunha, mas não passava dos limites. Só que os limites que ele alcançava eram gigantescos. Falava tudo com o maior respeito, a maior delicadeza, e ao mesmo tempo coma maior irreverência. Ele não tinha papas na língua como se dizia antigamente”, comentou. Ricardo Boechat morreu nesta segunda-feira, aos 66 anos em um acidente de helicóptero na rodovia Anhanguera, em São Paulo. O piloto Ronaldo Quattrucci também não resistiu.