Kayky Brito sera vilao em Verao 90
Kayky Brito sera vilão em Verão 90 (Reprodução/Instagram)

Longe da TV desde que atuou em O Rico e Lázaro (2017), Kayky Brito voltará ao ar em Verão 90, trama das 19h de Izabel de Oliveira e Paula Amaral que substituirá O Tempo Não Para em janeiro.

Leia: Caio Paduan e Marian Moschen aparecem caracterizados para Verão 90

O ator será Candé, playboy que é sócio da TopTV, emissora que transmite videoclipes. “Ele é uma pessoa rude, que não enxerga que está fazendo mal ou magoando alguém”, declarou o astro à Patrícia Kogut.

Saiba mais: Verão 90: Trilha sonora dançante chama a atenção; veja músicas selecionadas

“Tem um lado obscuro, é um vilãozinho. É meu primeiro personagem mau-caráter. O Xongas, de Sete Pecados (2007), era um malandro, que não teve acesso a educação. Terminou feliz, ao lado da namorada. Já o Candé tem uma maldade”, destacou o famoso.

O artista participou de workshops, que já seu papel será amante de surfe e jiu-jítsu. “Vários personagens da história vão surfar, então, me reuni com outros atores para praticar. Também já fiz jiu-jítsu e estou na faixa azul. Para mim, o esporte é uma religião. Me acalma e me faz feliz”, concluiu Brito.

Vilã de Verão 90, Camila Queiroz muda o visual: “Acho fundamental se transformar para um papel”

Longe da TV desde que viveu a Luiza de Pega Pega (2017), Camila Queiroz voltará ao ar em Verão 90. Na produção, a estrela será Vanessa Dias, aliada de Jerônimo (Jesuíta Barbosa), o grande vilão da história. Por causa do novo trabalho, a estrela resolveu inaugurar um novo penteado, com o cabelo mais curto.

“Acho fundamental se transformar para um papel. Isso nos ajuda a criar, a entender o universo da personagem e a contar melhor a história. Mas, claro, toda mudança é uma mudança. Eu estou me adaptando”, declarou a estrela à Patrícia Kogut.

Como o enredo se passa no Rio de Janeiro e nos anos 90, a atriz está procurando informações sobre como era vive no estado carioca naquela época.

“As lembranças que eu tenho, da minha família nos anos 1990, são no interior [de São Paulo]. E no Rio é tudo mais quente, né? Eu ainda não comecei a gravar, mas, se eu não me engano, a equipe é praticamente a mesma de Êta Mundo Bom!. Vai ser bom reencontrar essas pessoas que estavam comigo quando fiz a Mafalda. E trabalhar com Jorginho [Jorge Fernando, diretor] é uma delícia. Ele foi essencial na criação da Mafalda e vamos repetir essa parceria”, concluiu Queiroz.