Casagrande se emociona após ouvir desabafo de torcedor gay (Reprodução/SporTV)
Casagrande se emociona após ouvir desabafo de torcedor gay (Reprodução/SporTV)

O comentarista Casagrande largou a formalidade de lado nesta semana ao comentar sobre o desabafo do torcedor gay, o palmeirense William de Luca, que pediu o fim de cantos considerados homofóbicos nos estádios de futebol. Durante o programa Seleção SporTV, o ex-jogador se emocionou ao vivo. As informações são da jornalista Keila Jimenez, do portal R7.

“Essa atitude foi fantástica. Apoiei e gostei muito. A pessoa que está em casa pode achar muito fácil defender ou atacar, porque não sente na pele. Eu sinto na pele porque sou dependente químico. O que me ofendem nas redes sociais, me chamam de viciado, drogado…Não posso falar nada de ninguém por causa do meu passado. Quem sou eu para falar de alguém se fiquei internado. Eu sofro isso diariamente”, disse, emocionado.

Ele relacionou o caso com os recentes ataques que sofreu na internet após criticar duramente o comportamento de Neymar. “Coisa simples, fiz um comentário dentro do futebol, as ofensas contra mim vieram nesse sentido: drogado, viciado. Sei o que esse rapaz sofre, de outra maneira. Dói do mesmo jeito. A dor que ele sente quando é ofendido em redes sociais é a mesma que eu sinto. Só eu sei o quanto me esforço para não usar droga”, desabafou.


Em 2015, Casagrande também tocou no assunto considerado tabu: homossexualidade no futebol. Para o ex-jogador, os atletas devem ter a liberdade para se assumirem.  “O homossexual tem em todas as classes e não vejo como um problema, não é um defeito de caráter, é uma opção sexual e deve ter no meio do futebol. O futebol é muito paternalista, é difícil que as pessoas demonstrem ou assumam que são homossexuais. Deveriam. Não há problema algum”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui