Pokemon pode retornar à TV
Pokémon (Divulgação)

Nesta segunda-feira (19), a RedeTV! voltou a exibir o anime Pokémon, que fez muito sucesso na emissora de Osasco no fim da década passada. A volta faz parte de um plano audacioso do canal para os atuais tempos.

No primeiro momento, Pokémon será exibido em dois horários, junto com a Turma do Parakaka, grupo de palhaços que agora faz parte do casting da emissora paulista: às 9h e às 18h.

Veja mais: Canal da RedeTV! no YouTube se torna o terceiro maior do país

O primeiro horário é apenas para São Paulo, enquanto no fim de tarde, a exibição será em todo o Brasil. O desenho não é transmitido pelo site da RedeTV!, apenas em televisão aberta.

O investimento é o primeiro de uma série que o canal quer fazer em animes, um nicho que está em falta na TV aberta, mas que já rendeu bastante. Quem fala isso é gerente de aquisições e novos conteúdos, Rafael Ariais.

Tudo vai depender da aceitação de Pokémon junto ao público. Pela primeira vez, Pokémon terá exibição em alta definição, de forma remasterizada. Nesta entrevista exclusiva ao Observatório da Televisão, Rafael conta detalhes de como começou o interesse da RedeTV! na volta de Pokémon e os planos futuros.

Rafael Ariais, gerente de aquisições e novos conteúdos da RedeTV! (Divulgação)

Veja a entrevista na íntegra:

Observatório – Desde quando a RedeTV negocia a volta de Pokémon?

Rafael Ariais – A negociação teve início no primeiro semestre do ano passado, quando começou os estudos para a volta da programação infantil.

Observatório – Qual o objetivo da emissora com a compra do anime e sua exibição desde o início, em HD?

Rafael Ariais – Nosso objetivo é atender a uma demanda cada vez maior de animações na TV Aberta e seguindo uma tendência mundial de resgatar títulos que fizeram parte da infância da nossa audiência. Assim, queremos atingir tanto o público mais antigo e nostálgico, quanto uma nova audiência que vai conhecer o início da série agora.

Observatório – Pokémon é a primeira aquisição de peso da RedeTV! em 2018. Qual os seus planos para o futuro, se Pokémon der certo como se espera?

Rafael Ariais – Esperamos que Pokémon seja só o primeiro de uma série de títulos que pretendemos resgatar, mas não pretendemos ficar restritos apenas aos clássicos. Tudo vai depender da aceitação do público.

Observatório – Hoje, num mercado de TV aberta que investe menos nesse tipo de produto, quais são as dificuldades?

Rafael Ariais – A maior dificuldade hoje é a de adequar o conteúdo para as demandas que a nossa audiência pede. A forma como o público mais jovem consome TV aberta mudou muito nos últimos anos e precisamos estar atentos a isso.

Observatório – O que o público fã de animações japonesas e fãs de animações em geral podem esperar da RedeTV?

Rafael Ariais – Primeiramente vamos avaliar a recepção da animação Pokémon e a partir dela, vamos definir os próximos passos. Temos a intenção de investir cada vez mais nesse nicho, mas vai depender principalmente do nosso público.

Últimos vídeos do Canal no YouTube