Querido por alta direção, vídeo de William Waack coloca Globo em grande dilema

William Waack é apresentador do Jornal da Globo
William Waack é apresentador do Jornal da Globo (Divulgação/Globo)

Na tarde desta quarta-feira (8), um vídeo do jornalista William Waack, apresentador do Jornal da Globo, começou a rodar na internet. Na imagem, Waack aparece em Washington, nos Estados Unidos, e se incomoda com um homem que buzinou.

“Tá buzinando porque, seu m**** do c*****? Não vou nem falar, porque eu sei quem é… É preto. É coisa de preto”, afirma Waack, falando junto com um homem, um pesquisador de política internacional.

Veja mais: Globo não comenta carta de atores baianos e diz que elenco de novela está em escalação


O vídeo é exatamente de um ano atrás: em 8 de novembro de 2016, Waack estava nos Estados Unidos para cobrir a eleição de Donald Trump à presidente dos Estados Unidos.

Não se sabe exatamente como o vídeo veio à tona, exatamente um ano depois, já que Waack estava fora do ar quando tudo ocorreu.

As reações tomaram conta das redes sociais. A grande maioria do público pede para que a Globo afaste ou demita William Waack de suas funções, já que a fala é grave e tem notória conotação racista.

A pressão do público é parecida com o que houve com José Mayer, que foi afastado após uma denúncia de assédio de uma figurinista veio à tona. Até hoje, Zé Mayer não tem previsão de voltar às produções globais.

Segundo apurou o Observatório da Televisão, o vídeo caiu como uma bomba na redação da Globo em São Paulo onde se realiza o Jornal da Globo. A equipe do jornal só começa a preparar a edição por volta das 19h, mesmo horário em que Waack chega na emissora.

Em relação a punição, existe um grande impasse. Waack é muito querido pela família Marinho, dona da Globo que o considera um jornalista completo. Mas o caso é tão grave que hoje não é impossível dizer que ela possa ser afastado ou demitido.

Alguma posição em relação ao que aconteceu com Waack só deve ocorrer depois de uma reunião do próprio com Ali Kamel, responsável pelo jornalismo da Globo. Antes disso, a Globo não deve se pronunciar.

A reportagem procurou a emissora por e-mail no início da tarde desta quarta, mas o canal ainda não se pronunciou. Assim que o faça, a matéria será atualizada.

Veja o vídeo e tire suas conclusões: