MPF arquiva processo contra Ratinho por agressão, mas SBT ainda pode ser punido

Apresentador Ratinho
Apresentador Ratinho (Leo Franco/AgNews)

O Ministério Público Federal, através da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, arquivou processo que movia contra o apresentador Carlos Massa, o Ratinho, por incitação à violência contra a mulher.

Mas se engana quem acha que Ratinho pode ficar imune à alguma condenação. Ratinho respondia por dois inquéritos sobre o mesmo caso de agressão e apenas um deles foi arquivado. O outro também do MPF, segue em andamento.

Veja mais: Ratinho revela que Tim Maia lhe enviava faxes: “Adorava quando xingava ele no programa”


O arquivamento ocorreu a pedido da relatora do processo no Ministério Público Federal, Dra. Paula Bajer Fernandes. Para ela, não haveria como o MPF investigar o mesmo caso em dois inquéritos.

No caso, o MPF abriu um processo sobre o mesmo problema, e este está em caráter mais avançado de investigação, portanto, não teria necessidade de duas linhas de frente para a mesma denúncia.

Ratinho foi processado por incitar à violência contra a mulher, numa atitude que tomou em seu programa ao vivo no SBT, no dia 21 de abril de 2016. Naquela ocasião, Ratinho chutou uma caixa de papelão em que se encontrava Milene, atingindo a altura de sua nuca.

A assistente de palco deu um grito e caiu sentada no chão, visivelmente assustada e possivelmente machucada. Em seguida, ela se retirou do palco constrangida. Ratinho disse que, pela rebeldia, ela seria demitida.

O processo ocorreu porque várias denúncias foram feitas para ambos os órgãos. O julgamento do caso ainda não tem data para ocorrer no Ministério Público Federal.