“50 anos de subsistência numa profissão tão difícil”, celebra Tonico Pereira

Tonico Pereira
Tonico Pereira (Divulgação/TV Globo)

Completar 50 anos de carreira é um grande motivo para comemorar. E Tonico Pereira não vai deixar passar em branco. Os festejos começaram no Lá Fiorentina, no Leme, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (31), com lançamento da nova edição do livro Primeiro (e talvez o último) almanaque a mão das toniquices do Pereira.

“É uma comemoração que está me deixando muito feliz. A iniciativa não foi minha, mas eu acatei. De alguma forma é um reconhecimento, foram 50 anos de subsistência numa profissão tão difícil”, analisa o ator.

O livro tem crônicas bem no estilo de Tonico. “Fala de tudo, aspectos da minha vida, tem situações familiares com meu pai, minha mãe. Esse livro fala particularmente sobre as relações da minha vida afetiva com pessoas próximas”, adianta Tonico.

Tonico Pereira
Tonico Pereira lança livro Primeiro (e talvez o último) almanaque a mão das toniquices do Pereira (Foto: Nucia Ferreira)

Claro que o que não falta é humor, que é a cara de Tonico. “Sempre tem humor, eu sou tragicômico. Eu acho que a linguagem do ser humano é tragicômica. Eu não consigo nem ser cômico, nem ser trágico, sou os dois ao mesmo tempo”, define.

Relembre: Marco Pigossi posta agradecimento para Tônico Pereira por A Força do Querer

Além do livro, quem foi prestigiar o ator também encontrou disponível as camisetas com frases de autoria de Tonico. “As camisetas com frases de humor também surgiram desse lado cômico e observador”, disse o ator, que comercializa as peças em um estande no Espaço Mix, em Botafogo.

Tonico Pereira, que esteve no ar em A Força do Querer como Abel, o pai de Zeca (Marcos Pigossi), já está com saudades. “Dá saudade, mas fundamentalmente me desperta o desejo de trabalhar outra vez, porque se não eu morro de fome”, brincou.

Quanto a projetos futuros, o ator faz mais uma brincadeira. “Eu jamais tive projetos, a minha meta é sempre a próxima respiração, é com isso que me situo na vida. Sou acostumado a ser meio garoto de rua, viver pelo arroz, feijão, ovo, farinha e pão com pimenta”.

Apesar de não ter planos para o futuro, Tonico sobe no palco a partir do próximo dia 3 no espetáculo O Julgamento de Sócrates, escrita por Ivan Fernandes a partir de Apologia de Sócrates, de Platão. A peça, em cartaz no Teatro Cândido Mendes, em Ipanema, é o primeiro monólogo da carreira do ator. “Se eu estiver vivo até lá”, diverte-te.