Escrava Mãe surpreende em premiação Internacional e leva o troféu de melhor novela de 2016

ESCRAVA_MAE
Escrava Mãe (Divulgação)

“Nossa Escrava Mãe foi premiada no Seoul International Drama Awards! Melhor novela de 2016! Parabéns a todos !!”, desta forma comemorou o autor da novela, Gustavo Reiz, em seu perfil no instagram.

Confira:

?Nossa #EscravaMãe foi premiada no Seoul International Drama Awards! Melhor novela de 2016! Parabéns a todos!!!


Uma publicação compartilhada por Gustavo Reiz (@gustavoreiz) em

Escrava Mãe foi inteiramente gravada entre 2015 e 2016, e abriu o novo horário de novelas da Record TV em Maio de 2016. O folhetim contou a história que antecedia a saga de Isaura, e chegou com a promessa de esquentar o horário para novas produções que viriam e, sem maiores expectativas, a emissora foi aos poucos se surpreendendo com o desempenho da trama e com boas críticas ao texto e as atuações categóricas, que valem os destaques para Gabriela Moreyra, Thaís Fersoza, Jussara Freire, Fernando Pavão, Zezé Motta, em um elenco bem escalado.

Veja também: Record TV é a emissora líder em informação segundo estudo da Ancine, com 10% a mais de notícias que a Globo

Com uma fotografia primorosa e uma direção acertada de Ivan Zettel, nem mesmo a direção da Record TV entendeu o fato da crítica especializada ter consagrado Escrava Mãe, melhor que Os Dez Mandamentos e A Terra Prometida. O resultado da premiação internacional, traz a resposta a emissora dos bispos.

Escrava Mãe teve o cuidado de levar ao ar o famoso folhetim – a ideia não era revolucionar, nem confundir os telespectadores, por este motivo a escalação de elenco foi considerada a menor dentre as últimas produções da casa. A iluminação e cenografia acenaram para os mais saudosistas dos clássicos de época, e Gustavo Reiz em nenhum momento quis fugir da infalível estratégia de usar mocinhos muito bons e vilões terríveis para resgatar o público das novelas tradicionais, estratégia esta que funcionou muito bem para Walcyr Carrasco em Êta mundo bom! do mesmo ano.

Não podemos esquecer que Escrava Mãe foi uma parceria com a Casablanca, a qual se deve todo o apoio tecnológico disponibilizado para a produção e finalização do produto, a novela teve a utilização de captação 4K (UHDTV), sendo inteiramente gravada com este recurso. Foram 159 capítulos muito bem produzidos, com destaque para a ambientação e figurino sem quaisquer erros, detalhe não muito pensado pela emissora com os Dez Mandamentos. A produção da escrava também foi uma prova rara de que é possível acertar sem sofrer sérios danos por levar ao ar uma novela totalmente gravada, erros constantemente cometidos pelo SBT, no passado. Reiz agora está repetindo a fórmula com Belaventura, que, embora prejudicada pela grade que a antecede, segue com um padrão de qualidade de texto e elenco inquestionável.

O Prêmio Seoul International Drama Awards abre uma importante porta para a Record TV lá fora, tão importante quanto produzir um filme como Os Dez Mandamentos, a emissora mostra seu potencial para ir muito além, ampliando a ideia de parceria, e podendo também usufruir de fórmulas simples, como o folhetinesco. Escrava Mãe teve a direção de Ivan Zettel que conhece muito bem da fórmula e tem em seu currículo produções como, Mandacaru, O Cravo e a Rosa, A Padroeira, A Lei e o Crime, Cidadão Brasileiro, e Plano Alto. Já Gustavo Reiz, que já era muito querido pela direção da emissora, agora, com esse troféu, e colecionando elogios por seus trabalhos, poderá então ter vida longa e um futuro de muitos outros sucessos na emissora da Barra Funda. Escrava Mãe terminou com uma média geral de 11 pontos, levantando a audiência do horário e passando o bastão para a terceira reprise de A Escrava Isaura.