Paulo Miklos completa o júri de X Factor Brasil

Paulo Miklos no X Factor Brasil
Paulo Miklos

O quadro de jurados do X Factor está completo. O músico e ator Paulo Miklos integrará o time, atuando ao lado do produtor musical Rick Bonadio e dos cantores Di Ferrero e Alinne Rosa.

A versão brasileira do talent show musical de maior sucesso no mundo tem coprodução da Band, TNT e FremantleMedia .

Com sólida carreira artística, Miklos é integrante dos Titãs desde a a primeira formação. Também segue carreira solo, além de fazer sucesso como ator e apresentador de tv.


“Recebi o convite com muita alegria, para mim é uma honra ser jurado do X Factor e integrar o time do projeto tão bem sucedido; vai ser emocionante poder usar a minha experiência profissional para ajudar a revelar um novo talento. Quero dizer sim para o artista que me emocione. Ainda estarei ao lado de profissionais brilhantes como Rick Bonadio, Di Ferrero e Alinne Rosa. E mais o talento de Fernanda Paes Leme”, diz.

As inscrições para o programa, que estreia em agosto, se encerraram nesta quarta-feira com mais de 30 mil candidatos. O caminho para se tornar uma estrela da música nacional começa neste fim de semana, com a primeira fase de audições na Arena Corinthians, em São Paulo.

Criado pelo produtor musical Simon Cowell e exibido em 170 países, X Factor é um formato da FremantleMedia/Syco e já revelou fenômenos da música como One Direction, Fith Harmony , Leona Lewis e Little Mix, entre outros.

Paulo Miklos é músico e ator. Com o disco de estreia dos Titãs, lançado em 1984, veio o primeiro grande sucesso da banda na voz de Paulo, “Sonífera Ilha”. A partir daí foram mais 18 discos lançados até 2015, com diversos sucessos nacionais, muitos interpretados por ele, como; “Diversão” (1987), “Pra Dizer Adeus”, do disco “Acústico” (1997), e “É Preciso Saber Viver”, que se tornou hit no Brasil inteiro na regravação dos Titãs.

Consagrado na música, Miklos começou a fazer sucesso também como ator em 2002, no filme “O Invasor”, de Beto Brant. Ganhou o prêmio de ator revelação no Festival de Cinema de Brasília e de melhor ator coadjuvante no Festival de Miami. Em 2009, foi contemplado com o prêmio de melhor ator no Festival de Brasília, pela atuação em “É Proibido Fumar”, de Anna Muylaert. Paulo atuou ainda em “Estômago”, de Marcos Jorge, “Boleiros 2”, de Ugo Giorgetti, “Califórnia” de Marina Person e “Carrossel o Filme”, de Maurício Eça .

Em 2015 viveu Adoniran Barbosa no curta-metragem “Da Licença de Contar” de Pedro Serrano, projeto este que deu origem ao longa-metragem que será rodado em janeiro de 2017.

Em 2010, ano do centenário de nascimento de Noel Rosa, Paulo produziu a apresentou o documentário musical “A Alma Roqueira de Noel”, onde ele mergulha no universo do samba e cria um show em homenagem ao sambista. O documentário foi exibido pela GNT, Canal Brasil, BBC, Canal Curta!, TV Cultura e Netflix.

Na televisão, fez diversas séries e novelas, como “Os Normais” (2002), “Bang Bang” (2006), “Sessão de Terapia” (2013) e “Alucinadas” (2015).

Em 2016, estreou no teatro com enorme sucesso de crítica e público na peça “Chet Baker, Apenas um Sopro”.