A Liga mostra a rotina de profissionais que ganham a vida investigando mortes

A Liga mostra a rotina de profissionais que ganham a vida investigando mortes

Nesta segunda-feira (13), A Liga mostra a rotina de profissionais que ganham a vida investigando mortes.

A delegada chefe do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa, Elisabete Sato, falou com exclusividade para sobre os desafios da profissão. Guga Noblat testemunhou o trabalho dos cães farejadores na descoberta de um cemitério clandestino. Thaíde acompanhou o trabalho de recolha de corpos realizado pelo IML e seguiu junto com as amostras coletadas para o centro de toxicologia, onde qualquer material pode ser investigado. Guga conheceu ainda o trabalho do Grupo Especial de Atendimento a Local de Crime (GEACrim) em um resgate de um corpo baleado e abandonado a céu aberto.

A Liga vai ao ar toda segunda-feira, às 22h45, na tela da Band.