Número de assinantes de canais adultos cai, mas público compra 4,5 milhões de filmes

A crise econômica vivida pelo Brasil afetou inclusive a industria pornográfica. Em 2015, os canais pagos destinados ao segmento tiveram queda de 10% de assinantes, totalizando 410 mil.

Segundo a coluna de Ricardo Feltrin, é a primeira vez desde 2008 que acontece essa baixa. O jornalista também destaca que entre os anos de 2009 e 2013 o número de assinaturas tinha duplicado.

Florinda Meza diz que “Seu Madruga” se drogava e neta dispara: “Você queria invadir os casamentos de todos”


Mas se os clientes fixos caíram, o número de aluguéis de longas pornôs continua expressivo: 4,5 milhões no ano passado. Ou seja, um faturamento de R$ 67 milhões.