Em uma das ligações de Lula, grampeadas pela Polícia Federal, autorizados pela justiça na Operação Lava Jato e divulgadas nesta quarta-feira (16), o ex-presidente cita algumas emissoras de televisão.

No grampo no qual Lula fala sobre a Globo, o SBT e a Record, ele conversava com o então ministro da fazenda Nelson Barbosa e questiona se a polícia também grampeava as emissoras de televisão.

Lula: “Ô, Nelson, te falar uma coisa por telefone, isso daqui. O importante é que a Polícia Federal esteja gravando. É preciso acompanhar o que a Receita está fazendo junto com a Polícia Federal, bicho!”.
Nelson Barbosa: “Não, é… Eles fazem parte”.
Lula: “É, mas você precisa se inteirar do que eles estão fazendo no instituto. Se eles fizessem isso com meia dúzia de grandes empresas, resolvia o problema de arrecadação do estado”.
Nelson Barbosa: “Uhum, sei”.
Lula: “Sabe? Eu acho que eles estão sendo (e fala um palavrão)”.
Nelson Barbosa: “Tá”.
Lula: “Tão procurando pelo em ovo. Eu acho… Eu vou pedir pro Paulo Okamotto botar tudo no papel, porque era preciso você chamar o responsável e falar (ele fala um palavrão): ‘vocês estão fazendo o mesmo com a Globo, com Instituto Fernando Henrique Cardoso, o mesmo com Gerdau, o mesmo com o SBT, o mesmo com a Record! Ou só com o Lula’?”.

Após palavrões de Lula, Nelson Barbosa responde: “Tá, pede pro Paulo colocar”.

O Ministério da Fazenda emitiu nota esclarecendo que, até o momento, não recebeu manifestação formal do Instituto Lula a respeito da atuação da Receita Federal. Segundo a nota, o Ministério da Fazenda e a Receita Federal dispõem de instrumentos institucionais, que podem ser acionados por qualquer contribuinte, para apurar eventuais excessos ou desvios de conduta de seus servidores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui