Os advogados Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins e Rodrigo Azevedo Ferrão, que representam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, encaminharam uma carta à Rede Globo, solicitando direito de resposta à reportagem veiculada na última quinta-feira (10), com base na lei 13.188, aprovada pelo Congresso em 2015. Eles solicitaram que a emissora divulgasse uma manifestação da defesa sobre entrevista exibida com promotores de São Paulo, em que são detalhadas as denúncias contra Lula.

Na carta, os advogados alegam que nem o ex-presidente nem sua assessoria foram procurados para dar seu posicionamento sobre as acusações citadas na matéria. Mas a Globo rebateu as acusações e afirmou “Isso não é verdade”, em editorial exibido no sábado (12).

O JN exibiu e-mails trocados entre produtores da emissora e os assessores de Lula. O noticiário também mostrou que exibiu notas da defesa na íntegra em diferentes trechos do programa, inclusive lidas por William Bonner e Renata Vasconcellos.


Em reportagem de mais de 7 minutos, a Globo rebateu o pedido de direito de resposta e a acusação de que a reportagem seria ofensiva. “Trata-se de uma distorção. É apenas o relato objetivo da entrevista dos promotores paulistas: descreve o que foi dito sem nada endossar”, disse Alexandre Garcia, que ancorou a edição. O jornalista ainda declarou que o pedido de direito de resposta de Lula se alonga em mais 28 parágrafos e se dedica a fazer críticas ao jornalismo da Globo. “A emissora não é parte nas investigações a que está sujeito o ex-presidente. Cumpre apenas a sua missão de informar o povo”, completa.

Assista: