Christiane Pelajo bate boca com ministro da saúde e passa vergonha na Globo News

Christiane Pelajo Bate Boca Globo News

Christiane Pelajo estreou seu novo telejornal, que marca seu retorno ao canal Globo News, e logo de cara já criou polêmica. No noticiário exibido nesta segunda-feira (29), às 16 horas, a jornalista entrevistou ao vivo o ministro da saúde Marcelo Castro, que abordou o tema Aedes Aegypti e as doenças causadas pelo mosquito.

Em determinado momento, o ministro perdeu a paciência com as afirmações de Christiane Pelajo, que acusava o governo de maquiar os números. Os dois começaram a discutir sobre os dados e o barraco rolou solto.

Christiane Pelajo e outra jornalista não se deram por vencidas, perguntando se o ministro realmente checa esses dados e porque eles estavam tão diferentes. Marcelo Castro tentou explicar, mesmo que em vão, que são os próprios estados que repassam as informações. “Então se eles fizerem errado vocês não checam?”, continuou a repórter na discussão.


Mas quem estava errada era Christiane Pelajo, que ao confiar na produção de seu telejornal, pensou estar passando informações precisas, mas na verdade deu uma tremenda barrigada, jargão comum no jornalismo para erros.

A reportagem confundiu casos suspeitos de microcefalia com os que são confirmados. Os números eram tão diferentes que o ministro perdeu a paciência. Um dia depois, a Globo News admitiu, de forma discreta, que realmente errou.

Os erros nas informações dadas pela reportagem levaram o Ministério da saúde a emitir uma nota, que acabou sendo quase que uma lição de como se fazer jornalismo. A nota lembra que o ministro bem que tentou dizer que os dados divulgados pela Globo News eram falsos, mas que não foi ouvido. O ministério lembrou que o trabalho da imprensa é importante, mas desde que seja levado de maneira adequada. Situações como a demostrada no canal a cabo, segundo o órgão do governo federal, reforçam boatos e criam uma situação que traz insegurança para a população, especialmente quando o país passa por uma emergência no campo da saúde.

Além da nota, o órgão enviou vários anexos provando que de fato os números estavam errados e que a matéria também.

Veja o momento: