Equipe da Globo é detida com 240 quilos de cocaína falsa


Durante a gravação de uma matéria sobre a falta de fiscalização nas fronteiras, uma equipe da TV Centro América (afiliada da TV Globo) comandada pelo jornalista Alex Barbosa, foi detida ao tentar passar a fronteira do Brasil com a Bolivia transportando 240 quilos de gesso simulando cocaína.

Leia também: Conheça os finalistas do Bake Off Brasil

A equipe transportava o gesso em pó em um Gol e uma Parati pela BR 070, os mesmos foram parados porque os carros estavam muito baixos e acabou gerando suspeita nos agentes da Polícia Federal. “A gente ficou das 8h da manhã às 8h da noite rodando com esse carro. Já tínhamos rodado 600 km quando fomos abordados”, disse o jornalista.


Os pacotes da falsa droga eram muito parecidos com os usados pelos traficantes para embalar a cocaína, a PF através de um exame preliminar constatou que o material transportado não era nenhum entorpecente, porém ainda assim o material apreendido será analisado por peritos no Setor Técnico-Científico da Polícia Federal em Cuiabá.

O Ministério Público Federal informou que recebeu na sexta-feira dia 9, um oficio do jornalista que realizaria a reportagem e afirmou ter passado a informação para a Policia Federal e a Policia Militar no mesmo dia. “Era, a princípio, para sair em rede nacional”, diz Barbosa. “A gente já tinha informações sobre a fragilidade da segurança na fronteira do Mato Grosso com a Bolívia. O efetivo da Polícia Federal na região é pequeno demais. Não tem monitoramento aéreo no Mato Grosso do Sul. O Gefron (Grupo Especial de Fronteira) tem 90 homens para vigiar 900 quilômetros em quatro turnos. A gente estava procurando exemplos dessa fragilidade, informou. ”

O Ministério Público Federal disse, “O MPF informou à TV Centro América, em duas ocasiões, que não tem atribuição de autorizar ou avalizar a realização da matéria jornalística. E, na obrigação da transparência com as instituições que fazem a segurança na fronteira, o MPF comunicou a Polícia Federal”.

A Rede Globo informou que a matéria teve totalmente a intenção de comprovar a falta de fiscalização nas fronteiras, além de que não existia nenhuma substância ilícita com a equipe. “O teste feito pelas autoridades comprovou que era mesmo gesso em pó e a equipe foi liberada.”