Band volta a demitir e terceiriza programa


Band Minas

Quem pensou que os cortes de funcionários na Band haviam terminado enganou-se. A emissora voltou a demitir, desta vez na afiliada de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Segundo o site Natelinha, a Band Minas demitiu cerca de trinta profissionais, entre repórteres, editores-chefes, editores de imagem, auxiliares e cinegrafistas. A maioria dos trabalhadores dispensados faziam parte da versão local do Brasil Urgente. Os profissionais foram pegos de surpresa e não houve qualquer aviso prévio ou oferta de negociação.


A Band Minas decidiu terceirizar a produção do Brasil Urgente para conter gastos e esse foi o motivo do corte de funcionários. O programa passa a ser produzido por uma produtora local, de propriedade do apresentador do jornalístico, Stanley Gusman.

Os profissionais demitidos pretendem entrar com ação na justiça, juntamente com o Sindicato dos Jornalistas do Estado de Minas Gerais.

O Sinjor de Minas Gerais divulgou uma nota na tarde desta quinta-feira (7) afirmando que vai pedir que o MPT entre no caso e faça uma mediação das demissões em massa.

“Não fossem os motivos acima mencionados, observa-se, ainda, que a empresa denunciada violou o direito à informação, pois deveria ter efetuado negociação coletiva com os sindicatos profissionais. Em se tratando de dispensa coletiva de trabalhadores, sem prévia negociação, há clara ocorrência de violação ao princípio da interveniência sindical na negociação coletiva, que pressupõe a atuação do sindicato em toda e qualquer discussão que envolva uma pluralidade de trabalhadores”, diz o requerimento do SinJor.