Luiz Bacci chora e diz que quebrou a cara ao trocar a Record pela Band


Luiz Bacci chora

Luiz Bacci foi a atração principal do Programa do Gugu, nesta terça-feira (31). Fora da Band e de volta à Record, o jornalista falou sobre seu atual momento profissional e não poupou críticas a emissora dos Saad.

Com lágrimas nos olhos, Luiz Bacci contou porque decidiu trocar a Record pela Band e disse estar muito arrependido. Segundo ele, não foi por dinheiro, mas sim pela realização de um sonho, que seria o de apresentar um programa de auditório. Algo que aconteceu durante 5 meses, enquanto ele comandou o Tá na Tela da Band.


“Me arrependi muito de ter saído. Fui pra Band para realizar o sonho que era ter um programa de auditório, fui e quebrei a cara. Eu falei para Record que queria voltar, porque aqui minha carreira deslanchou, o público me cobrava para voltar. As pessoas olham nos olhos e sabe quando você faz por dinheiro e por amor à profissão”, disse ele.

Luiz Bacci afirmou não ter gostado da forma como a Band cancelou o Tá na Tela, de uma hora para outra e mais uma vez, em tom de arrependimento falou sobre a saída da Record.

“Você acorda de amanhã e descobre que não vai ter um auditório e microfone para falar com o público, você entra em parafuso. Eu faço isso desde os 10 anos de idade. Até agora me pergunto por que eu deixei a Record. Não foi por dinheiro, porque se fosse eu até tinha aceitado a redução de salário que a Band me ofereceu”.

O jornalista ainda comentou sobre a relação entre ele e José Luiz Datena, que fez duras críticas ao estilo do Tá na Tela. “Isso são coisas que se faz em programa que está em fim de carreira, não no começo”, disse Datena sobre o conteúdo sensacionalista da atração de Bacci. Há quem diga que rolava uma ciumeira de Datena, por temer perder espaço e prestígio para Luiz Bacci.

Sobre as críticas e acusações de ser sensacionalista, Luiz Bacci deixou claro que faz televisão para quem quer ver e vai seguir priorizando conteúdos que dão audiência. Segundo ele, não é função da televisão educar.

“Exagerei nada, as pessoas têm que entender que a televisão é feita pra essa gente que nos acompanham. Quem tem que dar educação é o político que vocês elegem, a nossa função é entreter essas pessoas, com responsabilidade, é isso que eu faço desde o começo da minha carreira. Se casos curiosos é chamado de bizarro e sensacionalista, chamem, quem fala isso só vê TV a cabo, não é o público que gosta.”

A postura de Luiz Bacci no palco do Gugu, mostra que ele de fato se arrependeu e não é para menos, fez uma burrada sem tamanho. Mas dizer que não foi para a Band por dinheiro é conversa fiada. Ele foi sim para realizar o sonho de ter um programa de auditório, mas foi com o bolso cheio, com um salário três vezes maior do que o que ele tinha na Record. Agora ele volta com o rabo entre as pernas, depois de implorar emprego para a Record e vai ganhar R$ 50 mil por mês, segundo o colunista Flávio Ricco, metade do que ele ganhava quando deixou a Record e bem menos do que os R$ 300 mil da Band.

Este é o resultado de decisões equivocadas na vida de um profissional. Se tivesse permanecido na Record, ele ainda estaria fazendo sucesso, ganhando mais e feliz. Mas dos males o menor, pelo menos ele conseguiu que a Record o aceitasse de volta. O mesmo não aconteceu com dezenas de profissionais que faziam parte de sua equipe na Band e foram demitidos, alguns estão desempregados até agora, cinco meses depois de serem colocados no olho da rua.