Morre Jorge Loredo, o Zé Bonitinho


Zé Bonitinho

Jorge Loredo, o criador e intérprete do personagem Zé Bonitinho, morreu nesta quinta-feira (26), aos 89 anos. O humorista estava internado desde sábado (21) na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital São Lucas, em Copacabana, no Rio de Janeiro, de falência múltipla dos órgãos.

Jorge Loredo completaria 90 anos no dia 7 de maio e sofria de sérios problemas pulmonares. Nascido em Campo Grande, no Rio de Janeiro, além de ator e era advogado, mas ficou famosos mesmo foi pelo inesquecível personagem galanteador, de topete, óculos enorme e bigodinho, o “perigote das mulheres”, Zé Bonitinho.


Feio, voz nasalada, gestos robóticos, nada parecia depreciar a imagem de Zé Bonitinho, o mais famoso e longevo personagem criado por Jorge Loredo, em 1961.

Segundo Loredo, para criar o Zé Bonitinho, a inspiração veio de um amigo metido a garanhão, chamado Jarbas. “Ele era uma figura, cantava todas as mulheres, parava em frente ao espelho para pentear o bigode. Eu o imitava nas festas e as pessoas se divertiam muito”, contava.

A carreira de ator começou aos 20 anos e além de Zé Bonitinho ele ainda criou personagens que se tornaram clássicos como o Mendigo filósofo da Praça da Alegria, criado no final dos 1950, que tinha o famoso bordão “meu nobre colega”.

No cinema atuou em dezenas de filmes, o último deles O Palhaço, em 2011. Na televisão fez parte do elenco da Escolinha do Barulho, A Praça é Nossa, entre outros. Fora do ambiente artístico Jorge Loredo trabalhava como advogado, especializado em previdência social.