Rachel Sheherazade volta das férias proibida de dar opiniões no SBT Brasil


rachel-sheherazade

O SBT não resistiu a pressão política e cedeu, a emissora de Silvio Santos, com medo de perder os repasses do governo federal em publicidade, que gira em torno de R$ 150 milhões e evitar possíveis problemas no futuro, resolveu proibir os âncoras de seus telejornais de opinarem sobre qualquer assunto.

A partir de agora, os jornalistas da casa só poderão emitir a opinião da emissora, em forma de editorial. Recurso utilizado pela maioria dos canais de TV. Opinião pessoal está proibido. A medida visa preservar a imagem dos apresentadores dos telejornais, em especial Rachel Sheherazade, que tem sofrido grande ataque por parte de quem discorda de seus comentários. A jornalista voltou das férias e já teve que adotar a nova postura.


Em nota oficial, o SBT esclarece a mudança: Em razão do atual cenário criado recentemente em torno de nossa apresentadora Rachel Sheherazade, o SBT decidiu que os comentários em seus telejornais serão feitos unicamente pelo Jornalismo da emissora em forma de Editorial. Essa medida tem como objetivo preservar nossos apresentadores Rachel Sheherazade e Joseval Peixoto, que continuam no comando do SBT Brasil.

Em entrevista ao site Notícias da TV, Rachel Sheherazade, logo após saber da novidade, disse que acata a decisão da emissora, mas deixa claro que o estilo do telejornal muda, mas ela não.

Confira a entrevista:

Qual será a principal mudança do SBT Brasil com a sua volta?

O jornal agora não vai ter mais a opinião dos apresentadores. As opiniões que forem emitidas no jornal serão editoriais da empresa.

Vocês vão falar a opinião da empresa?

Nem eu nem o Joseval [Peixoto] nem qualquer outro âncora do jornalismo do SBT vai mais emitir opiniões, por enquanto. Quando a empresa achar por bem se pronunciar a respeito de algum tema, ela vai fazer por meio de editoriais. 

O Silvio Santos contratou você para falar o que pensa. Como você lida com as mudanças no SBT Brasil?

Acho normal, porque é uma mudança de estratégia da empresa. Isso não é pensado por nós, somos soldados dessa empreitada e cabe à gente encarar qualquer novo desafio com profissionalismo, garra e muito amor à profissão. É isso que o Joseval e eu vamos fazer. O jornalismo é isso, está sempre em constante mudança.

Quando você soube?

Soube hoje. Nós tivemos uma reunião e foi passada essa mudança de formato do jornalismo.

A o que você atribui essa mudança?

Não sei, não posso falar sobre o que eu desconheço. Acho que toda empresa faz isso, muda horário, muda formato…

Mas o próprio SBT falou que tomou a decisão após a sua repercussão na mídia. Qual a sua opinião?

Minha opinião é essa. Sou uma funcionária da empresa, não sou eu quem pensa o jornal, quem determina o formato do jornal, então só tenho que cumprir e abraçar esse novo formato e seguir fazendo o meu trabalho com o máximo de profissionalismo e amor à casa que eu tenho. Se a empresa achou por bem mudar o formato, a gente acata com muito respeito, porque a gente sabe que a empresa visa o melhor para o telespectador e seus profissionais. A gente só tem que seguir, confia e segue. Eu confio na empresa e nos rumos que ela vai dar ao jornalismo.

Você acha que foi censurada?

Não, acho que não. Acho que é uma mudança de formato, foi isso que me foi passado.

Você disse em uma entrevista sobre forças poderosas que querem te calar?

São partidos políticos que ingressaram com uma representação, do PSOL e do PCdoB pedindo o meu afastamento da televisão.

Suas férias de agora não têm nada a ver com isso?

Não têm a ver, minhas férias foram combinadas anteriormente, há três meses.

Você vai procurar outro espaço para emitir opinião, já que no SBT você não vai poder mais?

Sim, eu posso encontrar outro espaço de opinião. Sempre vou ser uma pessoa de opinião, de posições firmes, isso não vai mudar. Se o formato do jornal vai mudar, eu não mudo. Sou assim, serei assim e talvez eu encontre outra forma de exibir minhas opinões que não seja pelo SBT Brasil.