Governo estuda punir SBT por opinião de Rachel Sheherazade


rachel-sheherazade

As polêmicas críticas de Rachel Sheherazade, âncora do telejornal SBT Brasil, estão chegando a níveis insustentáveis. Depois de dividir a opinião da imprensa e do público, as considerações da jornalista, chegou ao congresso nacional e pode causar sérios problemas ao SBT.

Após pedido da deputada e líder do PCdoB na Câmara, Jandira Feghali (RJ), o governo federal estuda suspender a verba publicitária que repassa à terceira maior emissora de TV do país.


O caso está sendo examinado pela equipe do ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Caso tenha parecer favorável, o canal de Silvio Santos perderá os recursos repassados pelo governo, que nos últimos anos superou a marca de R$ 150 milhões, pouco menos de 15% do bolo publicitário, atrás apenas de Globo e Record. A falta desta verba pode fazer estrago nos cofres da emissora, que vive uma fase de certa estabilidade.

“Como o governo pode subsidiar um canal que tem uma editorialista que incita à violência e à justiça com as próprias mãos?”, questiona Jandira Feghali.

A deputada acusa a emissora de ter praticado apologia e incitação ao crime, à tortura e ao linchamento ao exibir comentários da apresentadora Rachel Sheherazade que, segundo a parlamentar, exaltavam a ação de chamados “justiceiros” no Rio de Janeiro contra um jovem de 16 anos, acusado de furto.

Veja também: A íntegra da representação do PCdoB contra Rachel Sheherazade e o SBT