Programação infantil é a salvação da TV Cultura


Mesmo em um momento desprestigiado, o departamento infantil da TV Cultura só da motivos para alegria na emissora. Não é de hoje que a TV da Fundação Padre Anchieta colhe bons frutos quando decide dar espaço para atrações voltadas para a garotada.

Nos anos 1970 a emissora, junto com a TV Globo foi a responsável por trazer o fênomeno mundial “Vila Sésamo” para a televisão brasileira. Nos anos 1990 o mega sucesso “Castelo Rá-Tim-Bum” fez da TV Cultura referência em programas infantis, rendeu prêmios, shows de suas personagens, revistas, jogos e um longa-metragem.

Um pouco depois “Cocórico” se tornou um sucesso tanto na TV quanto em produtos licenciados. Sem contar os desenhos como “Doug”, “Sid, o Cientista”, “Bob, o Construtor”, “Peixonauta” e “Cyberchase”.


Em 2013, a nova diretoria da emissora, para conter gastos e ajustar os cofres da TV Cultura, decidiu extinguir o departamento de programas infantis e passou a integrá-lo ao de produção geral.

Programas foram cancelados e outros retornaram à grade. Uma das novidades deste ano, foi a reestreia da versão moderna do “Sítio do Pica Pau Amarelo”, exibido na Globo no início dos anos 2000.

Exibido na faixa das 18 horas, a reprise tem alavancado os índices de audiência da TV Cultura e colocado a emissora em terceiro lugar no ranking do Ibope.

A exibição do “Sítio do Picapau Amarelo” aumentou em 100% a audiência da TV Cultura no horário. Entre a estreia no dia 30 de setembro até a última sexta-feira (18/10), a média de ibope da atração foi de 3,2 pontos, competindo com Band e SBT. Antes da estreia, a média era de 1,6 pontos na faixa.

Com esses números a atração infantil tem superado a concorrência do SBT e da Band como os policiais “SB Notícias” e “Brasil Urgente”. Perde apenas para a Globo, que exibe a novela “Joia Rara” e a Record com o “Cidade Alerta”.

Quem sabe, com esse resultado, a TV Cultura volte atrás e continue priorizando aquilo que ela tem tradição e sabe fazer e apresentar com qualidade, programas para a criançada. Até porque, na TV aberta ninguém mais quer investir para esse público. Um nicho que só tem bom conteúdo na TV paga. Fica a dica!