Thaís Melchior e Murilo Cézar vivem Luísa e Marcelo em As Aventuras de Poliana (Divulgação / SBT)
Thaís Melchior e Murilo Cézar vivem Luísa e Marcelo em As Aventuras de Poliana (Divulgação / SBT)

O primeiro beijo de amor dentro da história de uma novela é sempre um momento marcante, não é mesmo? O público anseia e torce por ver o momento em que seus pombinhos favoritos vão dizer ‘sim’ aos impulsos do coração e trocar aquele beijaço de cinema!

A obra da saudosa Janete Clair, por exemplo, obedecia a uma regra clara nesse aspecto: não existia folhetim sem beijo dos protagonistas logo na primeira semana. Já outros autores preferem criar um pouco mais de expectativa em torno desse acontecimento, até como forma de garantir a fidelização do público. Alguns deles, porém, às vezes exageram na dose.

Íris Abravanel que o diga. Animada com o sucesso de seu atual trabalho no SBT, As Aventuras de Poliana, ela segurou por mais de um ano o beijo entre os protagonistas adultos da história, Luísa (Thaís Melchior) e Marcelo (Murilo Cézar) – o qual só vai ao ar nesta terça-feira (7), depois de 255 capítulos sem sequer um mísero selinho entre os dois!

Tal ‘façanha’ faz de Luísa e de Marcelo o casal principal que mais demorou para se beijar na história recente das telenovelas brasileiras. Assim como eles, no entanto, outros pares também levaram uma era para dar esse importante e esperado passo aos olhos do público. Relembremos alguns.

Professora Helena (Rosanne Mulholland) e professor Renê (Gustavo Wabner), de Carrossel (2012)

Na versão original de Carrossel, produzida pela mexicana Televisa em 1989, a professora Helena (Gabriela Rivero) era tão dedicada a seus alunos que nem mesmo se permitia o luxo de uma vida amorosa.

Ao adaptar a história para os dias atuais, Íris Abravanel decidiu que já era hora de romper esse tabu e dar à “querida mestra” o direito a um par romântico. Surgia então Renê (Gustavo Wabner), professor de música que conquistava o coração, outrora completamente virginal, da heroína.

Não que isso tenha sido tarefa fácil: Renê entrou na trama no capítulo de número 128, mas só conseguiu roubar o primeiro beijo da professorinha vários meses depois. Mais especificamente, no episódio 220. Haja paciência!

Olívia (Ana Paula Arósio) e Leo (Thiago Rodrigues), de Páginas da Vida (2006)

Páginas da Vida é considerada por muitos o início da segunda fase, menos inspirada, da obra de Manoel Carlos. Quando, depois de assinar tramas inesquecíveis como Por Amor (1997) e Laços de Família (2000), o autor global passou a produzir enredos insossos, marcados pela lentidão e quase letárgicos.

Está aí o romance entre Leo e Olívia para não nos deixar mentir. Presentes desde o início da trama e tidos como o casal principal da mesma, eles enrolaram, enrolaram e só foram se beijar pela primeira vez no final do episódio de número 176 – faltando menos de 30 capítulos para a história terminar!

Viviane/Vitória (Nathália Dill) e Ricardo (Humberto Martins), de Escrito nas Estrelas (2010)

Esta trama que misturava a doutrina espírita a questões éticas da ciência moderna representa, sem sombra de dúvida, um dos trabalhos mais elogiados da autora Elizabeth Jhin – ademais de, merecidamente, uma das maiores médias recentes da faixa das 18h da Globo.

De fato, Escrito nas Estrelas tinha tantas qualidades que o público nem se importou de o casal principal ter deixado para se beijar a menos de um mês da conclusão da história. O primeiro ósculo entre eles se deu no capítulo 123, a exatos 20 episódios do final!

Helena (Taís Araújo) e Bruno (Thiago Lacerda), de Viver a Vida (2009)

Dado continuidade à ‘fase ruim’ de seu currículo, Manoel Carlos trouxe de volta um pouco do lenga-lenga de sua obra anterior nesta nova trama. Casada com Marcos (José Mayer), um autêntico cafajeste, Helena acabava caindo de amores pelo gentil Bruno, filho que seu marido canalha nunca chegara a reconhecer.

Depois de muito tempo hesitante a se entregar a esse amor, a heroína finalmente deixou os escrúpulos de lado e se entregou a um beijão de tirar o fôlego com Bruno! A essa altura, cinco meses de novela já haviam se passado, e outros cinco estavam por vir, com direito a final feliz para os dois mocinhos.

Letícia (Juliana Didone) e Gustavo (Guilherme Berenguer), de Malhação (2004)

A famigerada “temporada da Vagabanda” de Malhação acumula dois indiscutíveis marcos na história do programa teen da Globo: a maior audiência entre todas as fases do programa, e também o casal principal mais enrolado.

Apesar da química evidente entre Juliana Didone e o hoje desaparecido Guilherme Berenguer, como também da intensa torcida do público pelos pombinhos, o autor Ricardo Hofstetter segurou o mais que pôde o primeiro beijo entre eles. Até que, no capítulo 89, depois de mais de quatro meses de novela – no sentido literal e no pejorativo -, Letícia e Gustavo finalmente se entregaram à paixão!

Flor (Juliana Silveira) e Máximo (Mário Frias), de Floribella 2 (2006)

Adaptada pela Band a partir do original argentino Floricienta, Floribella foi um grande sucesso em 2005, levando a emissora a encomendar uma segunda temporada da atração. Saía de cena o galã original, Frederico Fritzenwalden (Roger Gobeth), e uma nova chance de amar surgia para a protagonista na forma do irreverente conde de Krikoragan – país fictício inventado pela novelinha.

Este novo romance, porém, demorou bastante a engrenar. Seja pelos temperamentos inconciliáveis dos pombinhos – que passaram boa parte da história brigando feito gato e rato -, seja pela dificuldade da heroína de abrir outra vez seu coração após a morte de seu primeiro amor, o fato é que Flor e Máximo só foram se beijar pra valer no capítulo de número 63, decorridos quase três meses de novela.

Luísa (Bruna Marquezine) e Laerte (Gabriel Braga Nunes), de Em Família (2014)

Maneco mais uma vez na nossa lista, agora com um novo casal, mas com a velha lentidão de sempre. Desta vez, Luísa via sua paixão pelo músico cafajeste se tornar proibida por ele ter sido noivo de sua mãe, Helena (Júlia Lemmertz), e, de quebra, ter enterrado vivo o próprio pai dela, Virgílio (Humberto Martins). Quem nunca, não é mesmo?

O fato é que, no meio de tantos pruridos morais, Luísa e Laerte passaram praticamente a metade da novela sem dar sequer uma bitoquinha. Dos 143 capítulos de Em Família, eles só trocaram beijos do 61º em diante.

Últimos vídeos do Canal no YouTube