O escritor Jorge Amado (Divulgação)
O escritor Jorge Amado (Divulgação)

Nesta segunda-feira, dia 11, o Canal Viva estreia às 15h30 Porto dos Milagres, de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares. Exibida originalmente em 2001, a novela é inspirada em duas obras de Jorge Amado: o romance Mar Morto e a novela literária A Descoberta da América pelos Turcos. Ademais, o escritor baiano é o mais adaptado da literatura brasileira para a teledramaturgia. Hoje relembraremos algumas outras produções da TV baseadas em obras de Jorge Amado.

Veja também: Mudanças recentes descaracterizam canal Viva

Terras do Sem Fim: Jorge Amado no horário das 18h

Em 1981, a Rede Globo decidiu produzir mais uma novela baseada em Jorge Amado, seis anos depois do sucesso de Gabriela (1975). No entanto, desta vez a história seria exibida na faixa das 18h, à época de tradição eminentemente literária. O mesmo Walter George Durst de Gabriela uniu elementos de três romances de Amado e criou Terras do Sem Fim. Além do romance homônimo, Cacau e São Jorge dos Ilhéus também foram utilizados. A trama foi centrada na disputa de poder entre dois coronéis na zona cacaueira baiana.

O Sinhô Badaró (Carlos Kroeber) e Horácio da Silveira (Jonas Mello) têm também os dramas particulares de seus clãs. A filha do primeiro, Donana (Nívea Maria), se envolve com o farsante João Magalhães (Cláudio Cavalcanti). Ao passo que Ester (Sura Berditchevsky), esposa do segundo, forma um triângulo amoroso com o médico Virgílio (Paulo Figueiredo). Com efeito, Durst não gostou da direção de Herval Rossano, nem do horário. A novela durou apenas três meses.

Tenda dos Milagres: a exaltação das raízes culturais africanas e um libelo contra o preconceito

Em 1985, a Rede Globo produziu três minisséries para comemorar suas duas décadas de operações. Além de O Tempo e o Vento e Grande Sertão: Veredas, foi feita Tenda dos Milagres. Anteriormente, o romance dera base a um filme de Nelson Pereira dos Santos. No entanto, a minissérie de Aguinaldo Silva e Regina Braga deu maior amplitude às ideias da obra. Seu protagonista é Pedro Archanjo (Nelson Xavier). Mulherengo, boêmio e cheio de amigos, Pedro enfrenta com eles o racismo de uma elite branca que quer relegar os negros a posições subalternas na sociedade. Especialmente Nilo Argolo (Oswaldo Loureiro), um de seus maiores inimigos. A direção coube a Paulo Afonso Grisolli, a saber. No elenco, as presenças de Milton Gonçalves, Dudu Moraes, Tânia Alves, Chica Xavier, Antonio Pompeo, Solange Couto e Edyr de Castro, entre outros.

Capitães da Areia: a dura realidade dos meninos de rua, sem quem olhe por eles

A Rede Bandeirantes exibiu em 1989 a minissérie Capitães da Areia, baseada no romance homônimo de Jorge Amado. Antonio Carlos da Fontoura, José Louzeiro, Marcos Lazarini e Walter Lima Jr. (que também foi o diretor) assinaram o roteiro. Pedro Bala (Leandro de Souza) e seus companheiros de jornada enfrentam as dificuldades de viver na rua, roubando para sobreviver e se escondendo da polícia. O Padre José Pedro (Geraldo Del Rey) é um dos que os ajudam quando necessário.

Veja também: Viva terá série especial sobre as vilãs da TV

Tocaia Grande: o surgimento de uma cidade em meio à batalha dos coronéis do cacau

No final de 1995, a Rede Manchete apostou alto numa adaptação de Jorge Amado para chamar a atenção para seu núcleo de teledramaturgia. Tocaia Grande foi o romance escolhido, com texto e direção dos mesmos profissionais da histórica versão global de Gabriela, a saber: Walter George Durst e Walter Avancini. Régis Cardoso foi o diretor inicial, mas logo Avancini o substituiu. Os coronéis Boaventura (Carlos Alberto) e Daltro (Leonardo Villar) disputam entre si o controle da região cacaueira de Itabuna. Todavia, o surgimento de Tocaia Grande, uma vila criada pelo jagunço Natário (Roberto Bonfim), que deseja ser coronel, está atrelado à evolução dos acontecimentos que ligam os fazendeiros, os pobres e suas famílias.

Últimos vídeos do Canal no YouTube