Canal Viva
Canal Viva (Reprodução/Viva)

Desde sua criação, em 2010, o Canal Viva resgata preciosidades do acervo da TV Globo. Novelas clássicas fazem a glória dos aficionados, e humorísticos que fizeram história marcam presença. No entanto, ainda há muita coisa importante que não marcou presença no vídeo da emissora, integrante dos canais Globosat. Hoje relembraremos alguns programas que, com toda a certeza, merecem repeteco.

Satiricom

Exibido na primeira metade dos anos 1970, Satiricom foi um dos humorísticos precursores do que se chama “humor frenético”. Esquetes curtos, paródias de programas de TV e crítica política muito forte, embora fossem tempos de ditadura. Era liderado por Jô Soares, Agildo Ribeiro, Renato Corte Real e Luiz Carlos Miele.

Precursor do humor de ritmo frenético, Satiricom estreava há 45 anos na Globo

O Planeta dos Homens

Exibido entre 1976 e 1982, O Planeta dos Homens era liderado por Jô Soares e Agildo Ribeiro. Inicialmente satirizou a ideia da franquia cinematográfica Planeta dos Macacos. Posteriormente, assemelhou-se à linha da época, com sátira social e de costumes. Bem como paródias de outros programas da casa. Bordões que marcaram época, como o “Vai pra casa, Padilha!”, surgiram neste programa.

Praça da Alegria: há 40 anos, o velho banco deixava a Globo

Super Bronco

Nos anos 1970, Ronald Golias foi contratado da TV Globo. Além de sua participação na Praça da Alegria, em 1979 o humorista ganhou um programa solo, exibido nas tardes de domingo. Egresso do planeta Work, o extraterrestre Bronco é enviado à Terra para estudar nossos costumes e nossa História. Ele se instala na casa do dono de uma loja de discos, vivido por Rogério Fróes. E faz amizade com Toty (Liza Vieira), filha do homem. Através do humor, Bronco aponta mazelas das relações humanas como o egoísmo e a carência afetiva.

Chico City e Chico Anysio Show

Sim, é verdade, ambos os programas foram reprisados pelo Viva. No entanto, de Chico City apenas umas poucas edições. Chico Anysio Show, por sua vez, teve exibidos apenas programas dos últimos tempos, fim dos anos 1980. O mesmo vale para Os Trapalhões e Viva o Gordo. Os mais de 200 personagens de Chico Anysio ilustram diversas facetas da personalidade humana, e há até os que não fazem graça, como o Profeta, a saber.

Balança, Mas Não Cai

Pela TV Globo, este formato egresso do rádio teve duas passagens. A primeira, entre 1968 e 1971, e a segunda em 1982. Nesse ínterim, o humorístico teve algumas temporadas na TV Tupi. Os quadros eram centrados num edifício, que levava o nome do programa. Personagens como o casal Fernandinho (Lúcio Mauro) e Ofélia (Sônia Mamede), além da dupla Primo Rico (Paulo Gracindo) e Primo Pobre (Brandão Filho) e do Beleza (Carlos Leite), fizeram grande sucesso.

Evidentemente, não são desconsiderados os problemas de conservação do acervo que eventualmente existam. Todavia, ainda que existam poucas edições disponíveis, faz parte da função do Canal Viva esse resgate. Ao menos oficialmente não existe mais a faixa Viva Rindo, que poderia ser reativada para esse fim.

Últimos vídeos do Canal no YouTube