Artistas que já recorreram ao procedimento (GNT, Gshow/Felipe Monteiro, Divulgação, Agnews)

A quantidade de mulheres que realizam aborto no Brasil é grande. Só em 2015 mais de 500 mil brasileiras recorreram ao procedimento. A maior parte delas buscam em clínicas clandestinas uma forma de interromper a gravidez indesejada. Para a justiça, aborto é crime. Em alguns casos como estupro, anencefalia e quando há risco de morte para a gestante o método é liberado.

Na semana passada, cinco juízes do Supremo Tribunal Federal julgaram que até o final do terceiro mês de gestação a mulher pode sim abortar, mas essa decisão é baseada em um caso isolado. A discussão ainda terá vida longa nos tribunais e precisa ser discutida com a população.

Na edição do último domingo (04/12), o Fantástico apresentou uma reportagem sobre o tema. Durante a matéria a antropóloga Debora Diniz, da UNB, foi ouvida. Para a especialista o levantamento do Instituto de Bioética demonstra que:

. 67% das mulheres que realizaram o procedimento em 2015 possuem filhos;

. 88% têm uma religião;

. Em todas as classes sociais se aborta igualmente;

. Entre 20 e 24 anos é o pico de idade onde mais se pratica o aborto.

Questionada por Renata Ceribelli sobre o que precisa ser feito em relação a esses dados, Debora afirma: “Precisamos falar sobre saúde reprodutiva nas escolas, gravidez na adolescência, maior ampliação de métodos contraceptivos no SUS.”

Já sobre o perfil das mulheres  apresentados pela pesquisa a especialista é enfática: “A mulher que faz aborto não é aquela que imaginamos: Uma menina inconsequente ou prostituta. É uma mulher comum que sabe o que está fazendo.”

Conheça as celebridades que já realizaram aborto e assumiram publicamente: 

Hebe Camargo

Durante uma entrevista ao programa Roda Viva, 1987, da TV Cultura, a eterna Rainha da TV afirmou que essa é uma questão pessoal da mulher.

Confira:

Em depoimento à revista Veja, 1997, Hebe afirmou: “Lembro de uma mulher falando alto: Não grita! Não grita! Eu tinha 18 anos e um corpinho lindo, sobrancelhas grandes, cabelos compridos e escuros. Começava minha carreira de cantora no rádio. Na minha primeira relação sexual fiquei grávida. Não podia contar para ninguém. Meus pais sempre foram muito severos e naquela época era uma perversão ter relação sexual sem se casar. Contei para uma amiga, uma vizinha. Ela soube de um local onde uma mulher fazia aborto. Ela não era médica. Numa sala pequena, sem anestesia, sem medicamento nenhum, fez a curetagem. A dor era tão intensa que ameacei gritar. Jamais vou esquecer-me daquela voz falando em tom alto e áspero para eu calar a boca. Voltei para casa e tive hemorragia por vários dias. Acabei em um hospital. Estava muito doente. Minha família nunca soube disso e foi ruim ter de esconder. Para ser mãe a gente tem de desejar ter um filho. Ele tem direito à vida, é verdade. Mas com amor dos pais, com condições para crescer com saúde e boa educação. Quem vai garantir isso? Um Estado falido, miserável e hipócrita? A Igreja? Nem pensar. Sou católica e até hoje não me arrependo do que fiz. Hoje tenho o Marcelo, a melhor coisa que me aconteceu. Estava casada e preparada para ter um filho. Sinto-me muito feliz.”

Sonia Braga

Sonia é uma das atrizes de maior sucesso internacional. Deu vida a dezenas de personagens no cinema, no teatro e na TV. Durante uma entrevista à revista Elle, atriz declarou: “No primeiro, eu era muito criança. Tinha 17 anos. Se não tivesse um médico de confiança, eu poderia ter morrido. Crime é o aborto não ser legal no Brasil.”

Déborah Bloch

Conhecida por papeis fortes na TV e no teatro, a atriz falou sobre o assunto à revista Marie Claire: “Quando tinha uns 20 anos, engravidei sem querer de um namorado e abortei. Meu ginecologista me indicou uma clínica. Não tive nenhum tipo de arrependimento depois. É hipócrita fingir que não existe porque não é legalizado, enquanto mulheres morrem em decorrência de abortos malfeitos.”

Maitê Proença

Atriz, apresentadora e escritora, Maitê lançou um livro em 2008, Uma Vida Inventada. Na obra, Proença fala sobre o assunto. Maitê fez o procedimento aos 16 anos.

Luiza Brunet

A atriz que está agora no tribunais contra o seu ex-companheiro por conta de uma série de acusações envolvendo violência doméstica admite ter feito dois procedimentos. Em sua biografia, 2014, a atriz e modelo fala sobre o primeiro aborto feito aos 17 anos e outro depois que seu filho mais novo, Antonio, tinha oito meses.

Marília Gabriela

Uma das profissionais mais em sucedidas da TV, Marilia também foi citada na mesma reportagem da revista Veja em 1997. Anos depois ela aderiu à campanha da revista TPM: “Estamos diante de um fato: no Brasil as mulheres morrem por abortos malfeitos há décadas. Nós, como sociedade, pretendemos continuar cúmplices dessa mortandade?”

Elba Ramalho

Também citada pela Veja, a cantora afirmou: “Tem hora em que eu lembro que fiz um aborto e digo para mim mesma: ‘Não havia outra saída, eu agi corretamente’. Mas depois eu penso de novo e fico em dúvida: ‘Será que agi certo, mesmo?”

Cissa Guimarães

Apresentadora do É de Casa revelou ao jornal Folha de São Paulo: “Sou a favor da legalização do aborto, mas também gostaria que ele fosse extinto. Quando fiz, sofri muito. Mesmo legalizado, na suíte master do [hospital] Albert Einstein, eu não recomendo a ninguém.”

Elke Maravilha

Falecida há poucos meses, a jurada de maior destaque do Chacrinha afirmou no extinto De Frente com Gabi, do SBT que já tinha feito três abortos. Já para a revista Sexy, a ex-modelo declarou: “Nunca tive arrependimento. Ao contrário, fui sábia. Como poucas vezes fui na vida.”

Zezé Polessa

Em entrevista à revista Quem de maio de 2016, a atriz falou sobre o assunto. Zezé ficou gravida e contraiu rubéola. Segundo os médicos, o bebê corria o risco de nascer cego: “Sou a favor da vida, dos casais terem seus filhos. Mas acho também que não pode ser um crime. Sou a favor da descriminalização e do apoio do Estado, principalmente em casos em que são mais do que recomendados, como agora com essa epidemia de zika. Sobre as coisas do corpo cada pessoa é que deveria decidir o que fazer.”

Aracy Balabanian

Uma das estrelas do Sai de Baixo, Aracy falou sobre o assunto em sua biografia: “A profissão [de atriz] não era regulamentada, não tínhamos bons salários, licença-maternidade e direitos. Acho que esse foi um dos motivos, e até fiz um aborto pensando em quão problemática seria a minha vida com um filho, tendo que trabalhar muito e sendo mãe solteira. Fiz um segundo aborto, porque meu filho teria um pai que não desejaria para ninguém.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui