Há exatos 20 anos, em 9 de novembro de 1998, o SBT estreou em seu horário nobre a novela Pérola Negra. Baseada no original argentino de Enrique Torres, foi adaptada por Henrique Zambelli. A emissora ia na contramão do que fazia na época, quando investiu em autores nacionais e no resgate de textos clássicos da nossa teledramaturgia. Éramos Seis (1994) e Os Ossos do Barão (1994) são alguns exemplos.

SBT: algumas novelas marcantes dos 37 anos da emissora

A trama de Pérola Negra

Eva (Vanusa Spindler) e Pérola (Patrícia de Sabrit) são muito amigas. Elas cresceram juntas num internato. Cada uma delas teve paga a estadia no colégio com 22 pérolas negras, uma para cada ano até a maioridade, aos 21. A última, para usufruírem ao saírem do internato. Daí vem o título da novela. Eva cai na lábia de um conquistador e engravida. Após o pequeno Carlinhos nascer, as duas sofrem um acidente e Eva acaba morrendo. Pouco antes, pede à amiga que assuma sua identidade e cuide do menino. Assim sendo, Pérola assume o lugar de Eva ante sua família, os Pacheco Oliveira.

A matriarca dos Pacheco Oliveira é Rosália (Maximira Figueiredo). Severa e amarga, ela comanda a todos com mão de ferro. Detesta a neta. Mas Pérola, ou melhor, Eva, que é quem todos pensam que ela é, transformará a vida da família. Especialmente com seu trabalho na Nerta, empresa de cosméticos da qual é herdeira. Seu pai, Mário, é filho de Rosália com seu marido Carlos (Rildo Gonçalves).

O conquistador que seduz Eva é Tomás Álvares Toledo (Dalton Vigh). Ele é herdeiro da empresa rival da Nerta, a Acquarel. Malvina (Cibele Larrama) é sua noiva, filha de Laureano (Fábio Cardoso) e neta de Branca (Lia de Aguiar), irmã de Rosália. Passional e insegura, Malvina é noiva de Tomás e o casamento dos dois possibilitaria uma eventual fusão das duas empresas. No entanto, para vingar-se do ocorrido com a verdadeira Eva, Pérola decide tornar-se presidente da Nerta e atrapalhar os planos de Tomás. Ele então se lança à sua conquista. Apesar de viverem às turras, eles demoram, mas acabam reconhecendo a paixão que surge.

A revelação inesperada da trama

Conforme se envolve cada mais com os segredos dos Pacheco Oliveira, Pérola acaba descobrindo que pode ser filha de Renata (Cléo Ventura), a madrasta de Tomás. Todavia, a trama tem uma mudança quase mirabolante ao revelar que, na verdade, Rosália é mãe de Pérola. A moça era fruto de um caso extraconjugal da matriarca com o médico Benjamin (Luiz Bacelli). Descoberta e punida pelo marido com a distância da filha bastarda, ela se fechou para o mundo e passou a fingir ter perdido a visão.

Além disso, ela desde a chegada da moça à mansão soubera que não se tratava da neta Eva. O motivo? Como Eva e ela não se gostavam, e Pérola deu-lhe um beijo logo que chegara, para ela foi o bastante.

Outros personagens de destaque em Pérola Negra

Além de Cléo Ventura, Luiz Carlos de Moraes e Renato Modesto merecem destaque. Eles eram Renata, Fernando e Júnior. Renata era a segunda mulher de Fernando, o dono da Acquarel, e o ajudara a criar os dois filhos do primeiro casamento, Tomás e Júnior. Além de ter com ele a filha Lucila (Mariana Dubois), muito bonita e rebelde. Fernando não tratava Renata da melhor maneira e só pensava nos negócios e na rivalidade com os Pacheco Oliveira. Júnior, por sua vez, apaixona-se pela madrasta e inicia um romance com ela.

Posteriormente conhecida por seu trabalho em shows de stand-up, Marcela Leal participou da novela. Sua personagem era a tímida Ana Maria, típico “patinho feio”. No decorrer da história a jovem se modifica. Assume para todos sua condição de filha do milionário Carlos, muda o visual e se lança à conquista de Augusto (Manitou Felipe).

Os antecedentes da estreia de Pérola Negra

Ainda no primeiro semestre de 1997, começaram os testes para o elenco da novela. Pensava-se em exibir Pérola Negra como substituta de Os Ossos do Barão, que estreara em abril. O contraste entre as duas histórias era flagrante. “A época daquelas novelas politizadas e exageradamente elaboradas já passou. Agora é a vez do entretenimento puro e simples, das novelas como eram feitas para o rádio”, declarou no início de 1998, com as gravações em curso, Antonino Seabra, um dos diretores.

Vilã de Pérola Negra e dubladora, Maximira Figueiredo morre aos 79 anos

Os Ossos do Barão teve o término antecipado e saiu do ar em agosto de 1997. Para substituí-la, no entanto, o SBT colocou no ar a mexicana Maria Mercedes, em reprise após o sucesso no ano anterior. Pérola Negra foi ficando na gaveta. Lyliá Virna, Cynthia Benini, Valéria Zoppello e Rafael Vannucci foram alguns dos participantes dos testes, comandados pelo produtor de elenco Fernando Rancoleta. Vanusa Spindler e Alexandre Paternost, um casal à época, foram convidados para interpretar Tomás e Pérola. Vanusa acabou vivendo Eva, e ele ficou de fora da novela. Pérola Negra estreou quase um ano após terem sido concluídas suas gravações.

Ao aceitar viver Pérola, Patrícia de Sabrit recusou um papel que lhe fora oferecido em Malhação. Anteriormente, Patrícia integrara o elenco de Olho no Olho (1993/94) e Colégio Brasil (1996).

Os destaques do elenco de Pérola Negra

Maximira Figueiredo viveu a Rosalia de Perola Negra, trama do SBT
Maximira Figueiredo viveu a Rosália de Pérola Negra, trama do SBT (Divulgação)

Sem dúvida, a química do casal central formado por Patrícia de Sabrit e Dalton Vigh contribuiu muito para o bom resultado da novela. Tanto assim que o diretor Henrique Martins os escalou para formar novamente um casal em Vidas Cruzadas na RecordTV (2000). Todavia, a figura mais marcante do elenco é Maximira Figueiredo, recentemente falecida. De voz muito característica, dubladora reconhecida, Maximira deu à amarga Rosália tintas próprias. Passando-se por cega ante todos, ela ditava as regras. Mas escondia por trás de tanta antipatia uma mulher romântica e infeliz.

As reprises de Pérola Negra, que com o tempo se converteu em curinga do SBT

Na primeira exibição, que foi até 18 de junho de 1999, Pérola Negra não foi um fenômeno de audiência. Todavia, ao ser resgatada pelo SBT em agosto de 2004, numa reprise vespertina, teve mais audiência do que quando inédita. Uma segunda reprise, entre 2010 e 2011, também à tarde, teve mais capítulos que a exibição noturna. Em 2015 Pérola Negra ganhou uma terceira reapresentação, desta vez reduzida a “apenas” 120 capítulos. A emissora usou as constantes voltas da novela à grade como trunfo na divulgação desta reprise: “Como você já está acostumado…”. Provavelmente, logo deve vir a quinta exibição.