Globo Esporte
Globo Esporte (Divulgação)

Há exatos 40 anos, em 14 de agosto de 1978, entrava no ar o Globo Esporte, noticiário vespertino da Globo que marca gerações. Desde então passaram por ele diversos apresentadores, em fases distintas do programa.

O embrião do Globo Esporte foi o Copa Brasil, noticiário vespertino com os acontecimentos do Campeonato Brasileiro de então, que tinha esse nome. E nada tinha a ver com o que hoje conhecemos como Copa do Brasil. Os torneios estaduais também eram assunto. Copa Brasil ficou no ar de outubro de 1977 a agosto de 1978, imediatamente antes do Jornal Hoje.

Globo Esporte comemora 40 anos com edição especial nesta terça

Nos primeiros cinco anos de existência o Globo Esporte foi exibido somente de segunda a sexta-feira. Em 1983, passou a ir ao ar também aos sábados. Foi também nessa época que o programa passou a ter um bloco para as reportagens das afiliadas, além dos outros dois exibidos em rede. Com a incorporação de noticiário esportivo aos outros jornalísticos da emissora, o Globo Esporte passou a investir mais em aspectos humanos e pitorescos de torneios e atletas, em matérias mais elaboradas. Ainda, surgiram animações e grafismos descontraídos, que deram ao GE uma cara leve e bem-humorada. A tendência segue até hoje.

Comentários de especialistas em diferentes modalidades também figuram no Globo Esporte, ainda que o futebol domine o noticiário. Vôlei, basquete, tênis, ginástica olímpica e natação, mesmo fora de época de Jogos Olímpicos, marcam presença no esportivo.

Os apresentadores e a evolução na duração do Globo Esporte

Tino Marcos e Léo Batista nos 40 anos do Globo Esporte
Tino Marcos e Léo Batista nos 40 anos do Globo Esporte (Divulgação/ TV Globo)

O primeiro apresentador do Globo Esporte foi Léo Batista, que até os anos 1990 foi presença constante. Luciano do Valle, Fernando Vannucci, Mylena Ciribelli, Glenda Koslowski, Tiago Leifert e Cristiane Dias são alguns dos apresentadores mais longevos. No final dos anos 1980 surgiu a primeira apresentadora, Isabela Scalabrini. Na década de 1990 Débora Meneses e Alexandre Bacci estiveram à frente do esportivo. Ainda, Tino Marcos, repórter esportivo da emissora há mais de 30 anos, esteve à frente do programa por um período no final da década passada.

Na década passada, a Globo começou a investir em edições locais do Globo Esporte para conter a fuga de audiência para concorrentes mais conectados com os públicos regionais. Assim, Tiago Leifert passou a apresentar a edição paulista e Alex Escobar, a carioca. Em virtude de Escobar ser transferido para o dominical Esporte Espetacular, Fernanda Gentil assumiu seu lugar. Após a saída de Gentil, Cristiane Dias assumiu o programa. Em 2015, Ivan Moré substituiu Leifert. Hoje são mais de 10 praças que contam com versões locais do Globo Esporte, ainda que eventualmente assistam à edição da rede, gravada no Rio de Janeiro.

Globo libera publicidade para equipe de esportes

Sua duração variou muito. Anteriormente, no começo dos anos 1990, chegou a ter reservados para si apenas cinco minutos da grade. Era exibido às 13h, após o infantil Xou da Xuxa. Até se firmar na meia hora diária de hoje, o Globo Esporte chegou a ter 20 minutos em média.

A marca de 40 anos no ar, especialmente para um programa esportivo, é louvável. Assim sendo, que o Globo Esporte siga no ar com sua cobertura das diferentes modalidades esportivas e de iniciativas que se utilizem do esporte para inclusão social.

Últimos vídeos do Canal no YouTube