Vila Madalena estreava há 18 anos

Solano (Edson Celulari) e Pilar (Cristiana Oliveira) em Vila Madalena
Solano (Edson Celulari) e Pilar (Cristiana Oliveira) em Vila Madalena (divulgação)

No dia 08 de novembro de 1999, estreava no horário das sete da Globo a novela Vila Madalena. Escrita por Walther Negrão, a trama narrava os encontros e desencontros de dois casais, vividos por Edson Celulari, Maitê Proença, Cristiana Oliveira e Marcos Winter, na qual o cenário principal era o bairro paulistano que dava nome à trama.

A trama começa quando o casal Solano (Edson Celulari) e Eugênia (Maitê Proença) comemoram o fato de ele finalmente ter conseguido um bico como caminhoneiro, pois eles viviam tempos difíceis. O que eles não sabem é que quem está por trás deste bico é Arthur Junqueira (Herson Capri), que arma para cima de Solano, já que é obcecado por Eugênia. Sendo assim, Solano, sem saber, acaba transportando drogas em seu caminhão, é pego pela polícia e condenado a 17 anos de prisão.

Na prisão, Solano conhece Roberto (Marcos Winter), que foi preso no dia do seu casamento com Pilar (Cristiana Oliveira). Quando Pilar é importunada por dois playboys, Roberto se envolve em uma briga e acaba, sem querer, matando um dos homens, o que o levou à cadeia. Sete anos depois, Solano é libertado por bom comportamento, e Roberto pede ao amigo que leve com ele uma carta para Pilar.


De volta à vida, Solano tem surpresas desagradáveis. Eugênia está casada com Arthur, com quem tem dois filhos. A volta de Solano mexe com ela, que fica dividida entre seu amor do passado e a vida estável que conquistou ao lado do atual marido, sem sequer saber que foi ele o responsável pela prisão de Solano. Ao mesmo tempo, Solano leva a carta de Roberto à Pilar e, quando a conhece, se encanta por ela. Solano e Pilar acabam se envolvendo, e temem sobre como Roberto irá reagir ao descobrir o que aconteceu.

Vila Madalena foi criada a partir de uma encomenda da direção da Globo ao autor Walther Negrão, que queria uma novela que “conversasse” com o público paulistano. Por isso, o novelista optou por escrever sobre a Vila Madalena, destacando seu comércio alternativo e sua vida cultural. No entanto, muitos consideraram o bairro mostrado na trama como idealista demais e, ao fim, a Vila Madalena da novela acabou se tornando apenas um cenário da obra.

Segundo o site Teledramaturgia, foram utilizados como locações restaurantes, lojas e bares conhecidos na Vila Madalena. Um dos pontos de encontro de vários personagens era o sacolão do bairro, um mercado que vende verduras, frutas e peixes durante o dia e, à noite, é frequentado por boêmios. As cenas no Donato’s, que na trama pertencia ao personagem de Mário Gomes, foram gravadas no Zé Kleber, então um dos mais badalados restaurantes do bairro. Já as cenas na loja de Margot (Rosamaria Murtinho), tia de Pilar que vendia produtos esotéricos, foram feitas na casa de produtos esotéricos Magma.

O ator Oscar Magrini vivia o personagem Aricanduva, um tipo meio brutão que fazia um par romântico cômico com Lilica (Beth Gofmann). No entanto, durante a novela, o ator se desentendeu com a direção e acabou sendo demitido. Com isso, a personagem Lilica ficou sem função na história. Depois disso, Oscar Magrini deixou a Globo e fez novelas na Record e em Portugal, retornando ao canal em Esperança, em 2002.

Uma “novidade” lançada pela trama era sua falta de abertura. A novela era aberta com clipes de canções de sua trilha sonora, enquanto os créditos corriam sobre as imagens. Foram exibidos 14 clipes diferentes, e se revezavam na “abertura” de Vila Madalena nomes como Ana Carolina, Lenine, Maria Bethania, Xuxa Meneghel e até o “desaparecido” Mr. Jam, que cantava “Rebola na Boa”, um hit da época.

Vila Madalena estreou com 32 pontos no Ibope; no segundo capítulo houve crescimento de audiência: foram registrados 35 pontos. No capítulo 82, exibido em 10 de fevereiro de 2000, a novela marcou 38 pontos, recorde de audiência até então. O último capítulo registrou 39 pontos de média. A média geral da novela é de 32 pontos. A novela, portanto, teve desempenho considerado razoável.

Vila Madalena foi escrita por Walther Negrão, com colaboração de Thelma Guedes, Elizabeth Jhin, Júlio Fischer, Paulo Cursino, Vinícius Vianna e Ângela Carneiro, e dirigida por Jorge Fernando, Roberto Naar, Fabrício Mamberti e Marcus Alvisi, com direção de núcleo de Jorge Fernando.

Leia também:

O grande sucesso Show do Milhão estreava há 18 anos

Relembre um dos clipes de abertura de Vila Madalena: