Há 46 anos, estreava a novela Bandeira 2

Taís (Elizângela) e Tucão (Paulo Gracindo) em Bandeira 2
Taís (Elizângela) e Tucão (Paulo Gracindo) em Bandeira 2 (divulgação)

No dia 1º de novembro de 1971 entrava no ar no horário das 22h na Globo a novela Bandeira 2. Escrita por Dias Gomes e dirigida por Daniel Filho e Wálter Campos, a história retratava o universo dos bicheiros, e tinha Paulo Gracindo como protagonista.

A trama girava em torno de Artur do Amor Divino, conhecido como Tucão (Paulo Gracindo), e sua rivalidade com Jovelino Sabonete (Felipe Carone), com quem disputava a supremacia nos negócios do jogo do bicho na região do bairro de Ramos, zona norte do Rio de Janeiro. Além da rivalidade nos negócios, Tucão e Jovelino Sabonete ainda viram seus filhos, Taís (Elizângela) e Márcio (Stepan Nercessian), respectivamente, se apaixonarem, dando início a um amor proibido em meio àquele cenário de contravenção.

Neste cenário também se encontra Noeli (Marília Pêra), que é motorista de táxi e porta-bandeira da escola de samba Imperatriz Leopoldinense. Desquitada de Tavinho (José Augusto Branco), ela é uma mulher independente que desperta paixões, entre elas a de Zelito (José Wilker), filho de Tucão que vive recluso em seu quarto, pintando quadros. Noeli também é muito amiga de Zé Catimba (Grande Othelo), um dos mais antigos e queridos integrantes da escola de samba.


Um grande sucesso, Bandeira 2 alçou Paulo Gracindo a grande astro da TV graças à popularidade de Tucão, que, mesmo contraventor, conquistou a audiência. No entanto, segundo o site Teledramaturgia, o personagem chegou ao ator por acaso. Isso porque o ator Sérgio Cardoso havia pedido para protagonizar uma novela de Dias Gomes, que lhe apresentou Tucão. Mas o astro não gostou do personagem e pediu para mudá-lo, proposta que foi rejeitada pelo autor. Por conta disso, Dias Gomes sugeriu ao diretor Daniel Filho o nome de Paulo Gracindo que, até então, só fazia coadjuvantes e grã-finos. Bandeira 2, portanto, se tornou um divisor de águas na carreira de Gracindo.

Já para a atriz Marília Pêra, Bandeira 2 não foi um momento feliz. Isso porque a atriz aceitou a personagem Noeli acreditando que seria a grande estrela da novela, algo que não aconteceu em razão da enorme popularidade de Tucão. Assim, ela acabou pedindo para sair da novela, mas não teve o seu pedido atendido.

A popularidade de Tucão, aliás, era tão grande, que o personagem era muito bem-visto pelos bicheiros da vida real. Só quem não gostou do protagonista de Bandeira 2 foi a Censura Federal, que exigiu que Tucão fosse morto. A produção da novela ainda se viu obrigada a reforçar o número de figurantes na gravação da cena do enterro de Tucão, em razão da enorme quantidade de pessoas que compareceu ao cemitério, levadas por um boato de que Paulo Gracindo realmente havia morrido.

Bandeira 2 também marcou a estreia dos atores José Wilker, Grande Othelo, Ilva Niño e Francisco Di Franco em novelas, além de dar origem à peça O Rei de Ramos, com partitura musical de Chico Buarque e Francis Hime, encenada no Rio de Janeiro em 1979, com o próprio Paulo Gracindo no papel principal. A trama também chegou a “quebrar a banca” do jogo do bicho duas vezes, graças aos palpites acertados dados durante a novela.

A APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) premiou Dias Gomes como melhor novelista e Paulo Gracindo como melhor ator do ano de 1972 por seus trabalhos em Bandeira 2.

Leia também:

Game show Roleta Russa, da Record, estreava há 14 anos

Veja depoimentos dos atores de Bandeira 2 ao projeto Memória Globo: